Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contos e Descontos

Autora esporádica de contos e descontos escritos a tempo inteiro

Autora esporádica de contos e descontos escritos a tempo inteiro

Contos e Descontos

18
Jul20

Caros leitores

Rita Pirolita
Neste texto vou expor as minhas deduções sobre quem me leu uma vez e jurou para nunca mais, ficou a deitar fumo pelas orelhas e me desejou a morte, quem continua porque simplesmente gosta ou quem não consegue deixar de ler e fica à espera da próxima patacoada que vou vomitar, quanto aos indiferentes, gostava de acreditar que não encalharam por estas bandas. 
Aviso já que não sou bruxa nem tenho hipótese de saber se acertei muito, pouco ou nada. 
Muitos que me lêem, mais os que não gostam ou mesmo odeiam, devem indignar-se com o tratamento radical, escandaloso e às vezes até sanguinário que dou aos temas, nunca superficial e sempre a dsr-lhe com fé!
Para já, cada vez mais tenho certeza de menos coisas por isso a convicção vai com os porcos com a grande ajuda de um mundo louco que muda de opinião a cada milésimo de segundo que se ofende com duas ou três palavrinhas apenas e que volta sempre a cair no mesmo erro, dar palpites sobre vida alheia que no fundo é o que estou a fazer mas sem maldade ou critica desbragada. 
Como sempre só me quero divertir com a minha própria coisinha...a imaginação!
Meus caros leitores eu não sou de outros mundos, sou como vocês, alguém que abana ilusões instaladas que dos traumas dita acções e tenta minimizar a corrosão da revolta, alguém que selecciona princípios e responsabilidades, destrói dúvidas e cria decisões pelo caminho que vai escolhendo fazer. 
Sim somos todos produto da adversidade e da luta mais que da boa vida de bandeja que tanto desejamos de vez em quando, para descansar um pouco da lucidez que revela a dureza da realidade, traz tristeza, enlouquece e inquieta.
Uma coisa já aprendi, só a morte me vai anestesiar tal como vocês não se ficam cá a rir para sempre!
22
Abr20

Náuticos

Rita Pirolita
O moço sempre gostou de desportos náuticos e agora com mais tempo livre que o trabalho está mais brando, passa algum tempo a ver videos no YouTube dedicados ao tema, eu de vez enquando lá vou deitando o olho mas confesso, algumas vezes até fico enjoada de tanto balanço, mesmo estando em terra com o rabo bem assente no sofá, outras vezes fico a rebentar de orgulho, quando passam pelos Açores, paragem quase obrigatória para quem atravessa o Atlântico e dizem maravilhas de tudo, desde a comida, à paisagem, passando pelas suas gentes. 
Bem, mas o reparo que queria trazer a este texto é o seguinte, spesar de não perceber nada de timonice em águas profundas, que me faz impressão não ver o fundo às coisas, fico impressionada com a grandeza e aparato dos catamarans e a beleza dos marinheiros e marinheiras que se juntam em casalinhos muito bem resolvidos com a vida, que gozam de uma elegância e ar saudável de fazer inveja a qualquer um, elas sempre loiras, Barbies à vela, acompanhadas de um bom motor a bordo, de tronco defenido, cabelo comprido e olhos azul-mar ou verde-alga, que valha-me São Neptuno! 
Ele é viagens para as Fiji, para o Hawaii, para a Austrália, enfim, rotas de muitos dias, com alguns abanos e avarias pelo meio mas nada de monta, que morram todos à fome ou comidos pelos tubarões, as refeições são regadas por bom vinho, que nunca falta a bordo, eu que sou uma enjoadinha se fosse a bordo passava o tempo todo deitada a vomitar! E vinho? Nem ver a garrafa, quanto mais cheirá-lo!
Não acho nada mal que gente gira faça estas viagens, com ou sem patrocínio mas têm que levar sempre muito dinheiro na carteira e além do mais ter uma conta bem recheada em terra. 
Como estava a escrever, não acho nada mal espalharem tanta beleza em alto mar, a questão é, como é que eu e aqui o miúdo, somos um casal tão giro, feliz, comunicativo, cúmplice, muito dado à folia, aventureiro...e o único barco e respectivo dinheiro para o sustentar que algum dia vamos ter será de papel e não me venham dizer que é por eu enjoar!...   
28
Dez19

Virilhas assadas

Rita Pirolita
Conhecem aquelas pessoas que fazem tudo para mostrar que apesar de já serem velhas ainda têm muita genica, estão ali para as curvas, mostram aos mais novos com quantos paus se faz uma canoa, no tempo delas é que era trabalhar no campo à séria e fazem-se muito activas porque têm um medo da morte que se pelam, quando se apercebem que estão mais perto da machadada final???  
 
Conhecem aquelas outras, que apesar de estarem gordas que nem texugos vão fazer caminhadas de um dia pela serra, sem preparação alguma ou dieta de um ano pelo menos, e ao fim de 10 minutos já têm o interior das coxas em carne viva, as virilhas assadas, um imenso ardor no rego do cu, suor a escorrer em bica debaixo das mamas e em sítios mais estranhos como os refegos das costas na zona dos rins???
Ao fim de 15 minutos arfam como se não houvesse amanhã e não há por aí a dar com um pau, desfibriladores pendurados em árvores que salvem qualquer indicio de ataque de coração por excesso de gordura naquelas veias...
Já me estou quase a vomitar com o cenário que eu própria imaginei. 
 
Espero que este nojo me acompanhe até esticar o pernil e como tenho quase a certeza absoluta que Deus não existe, só peço que a minha cabecinha me livre e guarde de andar  por aí nestes preparos!
20
Out19

Bulimia canina reversiva

Rita Pirolita
 
 
Não sei o que pensam dos donos os respectivos cães, pelo modo como se comportam, não parece coisa boa. 
 
Vejamos:
Abrem logo a perna quando a mão ainda vai a caminho para uma sessão de festas, lambem os genitais em qualquer sítio e conseguem manter contacto visual com o dono ao mesmo tempo, fazem xixi onde os outros já fizeram e não fizeram, não limpam o cu a cada evacuação, comem ervas para vomitar e a seguir comem o próprio vómito, numa espécie de bulimia canina reversiva, cheiram o cocó, cu e genitais de humanos e outros animais, lambem bocas de miúdos com restos de comida, olhos, narinas, dedos dos pés, orelhas e cabelo, comem do chão de graça e sem reserva de mesa, não trabalham, não pagam renda ou criada e têm cama, comida e roupa lavada, não precisam de descontar para a reforma nem pagar impostos, salivam e babam-se mesmo na idade adulta e sem esperar pela idade do Alzheimer, não pagam casamentos, baptizados, pensão de alimentos, veterinário, dentista e funerais, não controlam os impulsos sexuais seja com a mesma espécie, em canzice incestuosa  ou com pernas e mantas, à frente seja de quem for, comem cuecas e meias e ninguém os obriga a serem vegetarianos, a boca cheira a cu de sardinha, não precisam de uma hora para se arranjar, basta dizer 'vamos à rua' e num milésimo de segundo estão à porta, não usam relógio mas sabem a hora certa de comer e acordar, para dormir e passear não há hora nem sítio marcado. 
Para rematar, sabem que com um olhar fofo e umas lambidelas lhes passamos a mão no pêlo e lhes apanhamos a merda!

Embora tudo isto me pareça uma falta de respeito, maneiras e decoro, juro que gostava de arreganhar o dente e às vezes morder a quem os trata mal!

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub