Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contos e Descontos

Autora esporádica de contos e descontos escritos a tempo inteiro

Autora esporádica de contos e descontos escritos a tempo inteiro

Contos e Descontos

09
Ago20

Há por aí MULHERES?

Rita Pirolita
Há por ai gente pouco ou nada susceptível que encare a realidade com nudeza e crueza? Há por aí especialmente mulheres que não sejam violentas, assanhadas, ressabiadas, frustradas e que não andem cegas com o feminismo moderno das Capazes ou Marias malucas do BE? 
Há por aí mulheres que em vez de se armarem em independentes com trabalho no lombo que se farta, dão um berro, um murro na mesa e protestam. Também trabalham além da vida doméstica, recebem menos é certo mas em vez de um homem que as ajude, querem um homem que divida tarefas, já que eles não podem parir um filho ou outro de vez em quando? Há por aí mães sós e desamadas que deixem de educar os filhos em total machismo e mimalhice, em guerra aberta e prejuízo para as mulheres que os vão aturar que se devem dar por muito contentes se eles puserem as próprias peúgas para lavar enquanto elas lavam, limpam, cozinham, dão banho aos miúdos e ainda têm que estar sempre lindas e cheirosas com um ar fresco e fofo nas fuças, de unha arranjada e dieta feita...como sendo tudo dado adquirido da sua condição feminina, como se tivessem nascido com isso agarrado aos genes? Há por aí mulheres que não perdem tempo com movimentos #metoo e em vez de se vitimizarem sabem o que querem e dizem e não andam armadas em coitadinhas de elite caviar que critica o sistema mas vive e é produto dele?
Ponham os olhos nos homens que encaram o dia do casamento como um dia de festa com oportunidade de  se divertirem, estarem com os amigalhaços e passado duas horas andarem sem gravata, de camisa aberta e bêbedos que nem cachos! 
Deixem lá os gays gozar com entusiasmo a novidade do casamento!
Deixem de desejar que de vez em quando vos cresça uma pila para violarem com ódio as mulheres que apenas têm ideias diferentes e não se fazem de coitadinhas a toda a hora. 
Dá trabalho ser diferente por isso não empatem o percurso de outras ou façam perder tempo com frustrações, perseguições e teorias da conspiração, fruto de vidas mimadas. Há por isso por aí mulheres que se preocupem com as verdadeiras violações dos direitos humanos, que queiram caminhar pela diferença ao lado dos homens que merecem, sem os meter a todos no mesmo saco, tal como nós não gostamos que nos façam?!
Há por aí mulheres que não sejam malucas esquizofrénicas como a girafa que namora com o macaco e lhe pede constantemente, beija-me a boca, chupa-me as mamas, beija-me a boca, chupa-me as mamas, que canseira andar para cima e para baixo naquele longo pescoço.
Não queiram por isso ser aquelas que querem tudo ao mesmo tempo, serem galanteadas, seduzidas, no fundo até já querem ser assediadas e não distinguem os limites, porque querem é ter importância para alguém, porque não conseguem estar sós e existir por si, não serem desprezadas, não serem julgadas, terem atenção exclusiva, serem elogiadas, terem os presentes que pedem porque impõem que merecem, serem amadas, não ficarem furiosas por serem feias e ninguém se interessar em conhecer o  vosso interior, nisso têm que ter mais paciência, as mais giras são mais importunadas por toda a merda, têm mais por onde escolher, mais porcaria para aturar e no fim resta-lhes o mesmo que às menos bafejadas pela beleza! 
Adivinhem lá...
Os homens, as crianças, os passarinhos, as árvores também precisam de atenção e amor da vossa parte e podem dizer asneiras de vez em quando, não fica mal na altura certa!
Deixem de admirar vitimas que se vitimizam e deixem de criticar ou ter inveja das vitimas que não se vitimizam e combatem o medo de ser olhadas de lado, por dizerem o que realmente sentem e pensam.
Deixem de pôr as culpas apenas na gaja que vos destruiu a relação, supresa, foi ele que também se meteu com ela e vos pôs os chavelhos, a outra ou sabe e continua ou não sabe e continua.
Deixem de se criticar e julgar pelas unhas de gel e pela peruca que exibem, concentrem-se mais na merda de gajos que muitas vezes escolhem, sim porque também os há que não prestam, a versão masculina das cabras, os cabrões!
Deixem-se lá de mimimis e sejam mulheres, apenas diferentes dos homens, dos dinossauros, das abelhinhas e das florzinhas!...
Mas porra que anda tudo ao mesmo anda, seja lá o que for!

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub