Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contos e Descontos

Autora esporádica de contos e descontos escritos a tempo inteiro

Autora esporádica de contos e descontos escritos a tempo inteiro

Contos e Descontos

09
Ago20

Estou confusa

Rita Pirolita
Nesta fase de grande mudança física e emocional estou confusa como estava na adolescência. 
A menopausa é uma merda e para agravar o mau estar, somos bombardeadas todos os dias com exigências de manter um corpo bonito a qualquer custo e agora até os homens se quiseram meter ao barulho sem ninguém os ter chamado. 
Detesto exercício fisico, rotinas e obrigações, gosto de me mexer muito, não obedecer a imposições e ter a liberdade de ser feliz na parte que me toca fazer por isso.
Não entendo o sacrifício e malefício que são necessários fazer o corpo passar, com dietas de limões e folhas de alface de manhã à noite, choques elétricos, queimadores de gordura, injecções de gordura, bisturi tira gordura, bisturi põe silicone...depois todos dizem que sem esforço nada se consegue e que o sacrifício é proporcional aos bons resultados. 
Que mal fiz eu para continuar a ouvir sentenças bíblicas relacionadas com pecado e vergonha para descobrir o Santo Graal da aparência perfeita à custa de tudo menos ser saudável. 
Cirurgiões que deixam a sua assinatura na obra, fazendo o mesmo tipo de lábios ou mamas em todas as parvas que lá vão. Miúdas de 20 anos que já parecem ter 40 e se vestem como trabalhadoras do sexo reformadas, mulheres que parecem homens de tão musculadas, ratos do ginásio que não se parecem com nada que seja humano. 
Já ninguém ingere comida, todos sobrevivem com batidos e selfies no espelho do ginásio. 
Eu não sou nenhuma Miss mas esta gente faz-me sentir que sou normal, feliz e gostada, no fundo eu existo, já esta gente não sei se pensam quanto mais existirem.
18
Out19

Vida enganada

Rita Pirolita

As poucas coisas em que fui acreditando ao longo da vida e não falo do Pai Natal, Deus, princesas, fadas, unicórnios...revelaram, não muito tempo depois, que não eram absolutas, a minha opinião e visão ia-se completando ou destruindo, com elementos muitas vezes pouco positivos.

Falo mais uma vez da macrobiótica e do período em que andei metida nisto até à ponta dos cabelos, pensava eu...

Comecei a frequentar retiros, conferências, workshops, restaurantes, seminários e a conviver quase somente com este grupo de pessoas.

Não nego que me sentia melhor em termos fisicos e até diria espirituais.

Comecei a abrir os olhos, quando descobri alguns comportamentos de compensação, face à rigidez das regras desta filosofia de vida, que para mim confesso, nunca foram difíceis de seguir, dai ter chegado à conclusão que estava preparada para ir em frente sem qualquer sacrifício e até com muito prazer, no entanto, algumas pessoas faziam das tripas coração e conseguindo enganar os outros por algum tempo mas não a si próprias por muito mais, acabavam por se render a tentações e vícios que nunca as tinham abandonado.

Dava com alguns a comer carne e a fumar às escondidas.

A vida é curta demais para ser enganada!

11
Ago19

Lamúrias de rico

Rita Pirolita
 
Todos os ricos dizem que se esforçaram muito para chegar onde chegaram, que engoliram sapos e fizeram das tripas coração, que começaram a fortuna a limpar retretes, blá, blá, blá...
OK, chega de tanta carnificina e coisas viscosas! Quanto às retretes, eu também já limpei muitas, incluindo a de cá de casa e continuaria a limpar a merda dos outros se não tivesse mudado de trabalho.

Ninguém cai nessa lamúria, já todos chegamos à conclusão que a trabalhar ninguém lá chega e que esse estado de graça se consegue com muita, mas muita sorte, estar no sítio certo e no momento certo para agarrar a oportunidade.              
Até ao último suspiro todos estamos sempre alerta para um furo!
 
Se me dissessem que com a minha pobreza, toda a injustiça, fome e guerra desapareciam, era capaz do sacrifício mas também porque não sou rica e por isso não sei se seria difícil abdicar de boa vida, mesmo para salvar o mundo. 
 
Se fosse rica os pobres não seriam da minha responsabilidade, teria um massagista/chef vegan, sempre on call, aliás se fosse bem parecido até podia viver na casa de apoio à piscina.  
 
PT? Ia dispensar, detesto fazer exercício e muito menos que me gritem aos ouvidos e me dêem ordens quando sou eu a pagar, mesmo que fosse para outras coisas.
Lembrem-se que já deixei lá atrás, a proposta do massagista e chef bem parecido, tudo num só.
 
Se tivesse coragem, mudava tudo em mim, desde a ponta dos cabelos às unhas dos pés, como sou pobre tenho que me contentar com o que tenho e fingir que 'estou feliz por mexer, ter dois bracinhos para trabalhar e se for preciso vou limpar escadas'. Coisa mais orgulhosamente pobre para dizer não há.
 
Se tivesse coragem tinha filhos e a nanny que os aturasse, ficam sempre bem na foto de família, é suposto ter herdeiros para deixar tamanha fortuna e mostrar que mesmo depois de parir três ou quatro bezerros continuo em forma, à custa de muito  trabalho e sacrifício, nunca cirurgias. 
A treta do 'sacrifício' tem sempre que se meter nas conversas dos ricos, haja oportunidade e pimba.
 
Notem, a casa que tenho não me foi oferecida pela câmara, não estou desempregada e não vivo de subsídios. 
Sempre pertenci à classe de burros que trabalham para os ricos ficarem mais ricos e se enaltecerem com a esmola que dão aos desgraçadinhos! Eu e a maioria pagamos isto tudo.
 
Mas como já disse se estivesse do lado dourado não ligava a estas injustiças, já que seria graças a elas que quando me sentisse deprimida entrava no meu Mustang a chorar e a dizer mal da minha vida, com o cartão de crédito a saltar da Louis Vuitton para umas comprinhas ou mais uma viagem a locais modestos claro, só para desanuviar.

Com tudo isto seria uma pessoa além de linda por fora uma boa samaritana, que é uma coisa que não tem preço nem se pode medir, o que quer dizer, que não gastaria dinheiro a comprar lindeza interior, nem precisava de provar o grau de belezura das entranhas; não comeria animais, a não ser escargot; usava sempre vegan leather e fake fur; falaria tão bem inglês como escrevo português e o meu lema seria:
PROTEGER OS ANIMAIS E EXPLORAR AS PESSOAS.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub