Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contos e Descontos

Autora esporádica de contos e descontos escritos a tempo inteiro

Autora esporádica de contos e descontos escritos a tempo inteiro

Contos e Descontos

19
Jul20

Julgamentos de pedestal

Rita Pirolita
Não é achando a nossa visão a supremacia da lucidez que nos dá o direito de julgar todos como burros e torpes, mais talvez como alienados muitos e uns poucos lúcidos com ideias diferentes! 

Por mais fortes que as palavras sejam o conhecimento e clarividência só chegam a quem está preparado e aberto a tal e existem tantas formas altruístas e reais de pensar sobre as mesmas coisas, estejamos nós dispostos a tal! 

Cuidado com julgamentos de pedestal! 

O humor e sarcasmo não têm limites mas nem todos choram a rir do mesmo!
31
Mar20

O sexo sem hu(a)mor não tem tanta piada!

Rita Pirolita
Vou falar de sexo com o pudor que merece da minha parte ou seja, nenhum!
Não precisam de comentar ou expor o vosso comportamento mas vejam lá se não sentem também um pouco do que eu sinto. 
Sempre me intrigou o seguinte, filmes românticos, eróticos, de suspense, policiais, de zombies, vampiros ou até canibais, parece que agora não há género que não tenha que enfiar no guião como condição sine quo non, uma cena lá pelo meio de pirueta em vale de lençóis, no elevador, nas escadas, é onde calhar, nunca se pensa em DST's, preservativos ou mesmo tirar as collants e calças, tudo é penetrável, até a roupa. 
Ora bem, estão a ver aqueles filmes em que na cena quente ela é filmada em slow motion com os cabelos ao vento em posições sem refegos, celulite ou mama descaída, tudo é perfeito e rápido que nem coelhos, elas surgem na cena seguinte de roupão ou com a camisa dele enfiada à porcalhona desleixada mas maquilhada que nem Bela Adormecida e com o cabelo sem pintelho a despontar fora do sítio, tudo arrumadinho mas com um olhar de badalhoca, que só Deus sabe e o gajo que esteve com ela na cama!?
Estão por outro lado a ver os filmes que são uma sátira a estes? Em que ela na cena sensualona cai da cama, parte um pé, entala os dedos na mesinha de cabeceira ou aparece o cão dele com um olhar que a intimida e envergonha e junta-se à cena, não, corta, isto já sou eu a delirar! 
Pois, eu sou mais inclinada para estes lados, para este tipo de tragicomédia, não que já não tenha tentado fazer de boazuda, sempre me foram dizendo que sou gira e devia explorar mais a minha faceta sexy, que segundo todos os homens, todas temos. 
Sinceramente nunca me senti assim, prefiro pensar em mim como alguém com graça e piada, de ar divertido de quem está bem com a vida, a nível fisico a imagem que penso transmitir é de alguém com uma postura pragmática, porte mais para o atlético, calço o 41 e sendo alta posso dormir de pé como as galinhas, é sempre o que me dizem para serem simpáticos e não desagradáveis ao confirmar que de facto sou patuda, tenho umas mãos enormes, embora seja proporcional, isto não é de todo o cumulo da feminilidade e delicadeza, por mais que tente não parecer um elefante dentro de uma loja de cristais! 
Ora bem na senda de tentar descobrir alguma coisa em mim que os outros viam mas eu não queria admitir, tentei em algumas alturas forçar-me a ser sensual, em câmera lenta e tudo, confesso, não deu o resultado esperado, saiu mal, deu merda mas fartei-me de rir, não sendo a única a ser contagiada pela cena, quem estava comigo também confirmou, que estávamos lá para foder e rir se assim fosse o caso e houvesse oportunidade e não para andarmos a brincar aos cowboys, a esconder-me do Índio que me quer dar com a pena na moleirinha para castigo ou fazer-me cócegas nos mamilos como tortura. 
Por falar em personagens de filmes, nem me queiram imaginar vestida de enfermeira put@ e ele com arreios de cavalo, porque se não aí é que morro de riso e não fodemos! 
Ainda mais, detesto lingerie com fitinhas, botões, lacinhos, rendinhas e outro tipo de tirinhas, em vermelho e preto ainda pior, não vai com a cor dos meus olhos. 
Detesto que tentem impor celebrações como o dia dos Namorados, lembrar o dia em que o conhecemos, celebrar a primeira queca, a primeira semana, mês, trimestre, meio ano ou ano...arre, não!
Detesto flores empinocadas, então aqueles arranjos de florista não têm piada nenhuma, nunca consigo distinguir um ramo de festa de um para funerais.
Não gosto que arranquem flores em geral, deixem ficá-las no jardim que são mais bonitas e mantêm-se vivas por mais tempo. 
Pétalas de rosa e velas, suporto numa massagem, se for oferecida tanto melhor e como estou de olhos fechados também não vejo as paneleirices da decoração.
Por outro lado sempre achei que as minhas colegas de escola na altura das descobertas e não era do caminho marítimo para a Índia, romanceavam e mentiam muito sobre a cena, quando descobriam que para engravidar não é preciso saber foder, é só preciso foder...já era tarde e que além disso para foder não é preciso amar ou andar em busca do amor nas cavalgadas, também só é preciso foder! 
É óbvio que se uma pessoa encontra alguém com quem se dá bem, que existe aquela química, como costumam dizer os entendidos desses subterfúgios da fod@, tem mais tempo de descontraidamente ir descobrindo as teias do prazer e explorar afectos, não os beijoqueiros do Marcelo, valha-me Nossa Senhora da Espuma aos Cantos da Boca, kanoije!
Pronto, já perceberam por esta altura qual é a minha visão e verdadeiro comportamento incontornável que tenho e tanto me caracteriza, de me rir de tudo e ter prazer ao mesmo tempo. 
Não se resumirá também o amor a um animalesco desejo, bastante humor à mistura e algumas dores de corpo pela ilusão e boa vontade, de em determinada idade insistir em fazer posições de há 20 anos atrás, dentro do carro já nem se fala, ou inventar novas posições que não dão em nada, a não ser em torcicolos e quedas mais ou menos aparatosas?!...Mas nada nos pára! 
26
Fev20

Humor, a voz da opinião

Rita Pirolita

 


Tenho que me rir de mim e dos outros, espero que se riam de mim também...
O humor despe a vida de barroco sinistro e mostra os buracos das traças nas cuecas. 
Os humoristas são génios desperdiçados!
Todos somos seres tendenciosos e pouco ou nada isentos.
Não consigo ser politicamente correcta porque isso não é nada e mais vale estar calada.
"Penso, logo existo". Obrigada Descartes. 
28
Jan20

Rei cobarde

Rita Pirolita
Alguém que se faz explodir está drogado e alienado, assim aguentaram as atrocidades os soldados nas grandes guerras. 
Estes actos servem para trocarmos a liberdade pela falsa segurança e real controlo pelo medo! 
Os donos disto tudo precisam de espalhar terror mantendo algumas vitimas vivas que são essenciais para continuar o massacre e a extorsão. 
Todos os lideres de todos os países atingidos, são cúmplices dos ataques, são os palhaços da corte de um rei cobarde, que de tão feio não se mostra! Tudo tão sério que até dá vontade de rir!
19
Dez19

Miúdas coquetes

Rita Pirolita

Nunca gostei de miúdas coquetes e rapazes mariquinhas, desde a infância até agora, mas olhando para trás só me posso rir e nunca chorar. 
 
Nunca alguém me conseguiu manter uns collants vestidos, davam uma comichão desgraçada nas nádegas ou mesmo uma Thermotebe, estalava tanto da electricidade estática que até deixava os cabelos em pé.

As miúdas picuinhas...tinha que as aturar no horário de aulas, depois metiam-se em casa a brincar com as Barbies e a estudar, enquanto eu cá fora andava entretida à porrada com os ciganos, a jogar ao espeta, ao pião, à carica, a saltar à macaca... 
Dentro do recinto da escola portavamo-nos todos bem e ninguém olhava a etnias, piolhos ou ranho. 
 
Só parava em casa uma tarde inteira, ao terceiro trambolhão que arrancasse mais uma vez a crosta dos joelhos.
29
Nov19

Mete nojo aos cães

Rita Pirolita

A única coisa proveitosa que a idade me tem trazido é uma capacidade galopante de ver coisas estúpidas em tudo, de fazer piada de quase tudo, de me rir da palerma que sou em levar a sério o que é passageiro e finito, a vidinha, ela própria!!! Essa bitch, que de resto com a idade só me vai trazendo num crescendo massacrante, desgostos em forma de dores nas costas, joelhos e ancas, incontinência, rugas, mamas e nádegas descaidas e moles e por ai fora numa lista interminável de decadência.
 
Digam lá se o melhor remédio não é rir e deitar o mau aspecto que cada vez mete mais nojo aos cães, para trás das costas?!
17
Out19

O que me irrita no moço

Rita Pirolita
 
 
Decidi fazer este texto, primeiro porque tenho tempo e segundo porque acabou agora mesmo de acontecer uma situação que é recorrente no moço que faz parte do seu feitio, não é defeito, ele é imperfeito e tal como eu e todos neste mundo, somos um projecto inacabado até ao fim da vida! 
 
Começando pela situação de há pouco. 
Sempre que faço algo na cozinha e sou quase sempre eu, pergunto se ele quer, rarissimas vezes responde à primeira, como se tivéssemos uma resma de filhos e eu estivesse a perguntar primeiro aos petizes, à segunda a pergunta sai em tom ríspido e de advertência, "que só posso estar a falar com ele porque não há mais ninguém por perto e que é uma falta de educação fazer-se de difícil e mouco". Sim, de mouco, muitas vezes responde ao segundo chamamento com um Ah? Eu digo-te o Ah, não estás assim tão velho para estar surdo e se é esse o caso, um aparelho é pequeno, fácil e barato! Vai buscar.

Sem me desviar da conversa de cozinha, sempre é melhor que a de casa-de-banho, tem preguiça de passar a louça por água e pô-la na máquina, sempre com a desculpa que ainda se pode usar ou que se põe tudo ao mesmo tempo. Ao mesmo tempo quando? No fim do dia ou do mês? 
Poupem-me, primeiro tenho louça suficiente para não comer sempre no mesmo prato sujo e depois a máquina não morde nem gasta energia só por se abrir e pôr lá um copo ou um garfo, em vez de ficar tudo na bancada. 
Se lhe custa pôr seja o que for na máquina ele que nem queira saber o que é lavar louça à mão todos os dias.

Outra situação é saber que o jantar vai estar pronto a sair em dois minutos, chama-se uma, duas, três ou mais vezes até o Sr. Príncipe se dar conta que tem uma orde de vassalos ou na maioria dos casos apenas a cozinheira, à espera que sua excelência se digne baixar à mesa de repasto, que falta de respeito por quem espera e principalmente por quem confeccionou. 
Como eu não nasci em berço de ouro nem aparo golpes, não espero, sento-me e começo a comer sem nenhuma culpa ou desculpa.
No final das refeições nunca toma a iniciativa de fazer café mas sugere e bebe sempre, feito por alguém que nunca ele, claro!

Diz sempre que come muitos vegetais e fruta! Quem come isso em quantidades industriais cá em casa sou só eu e ainda não perdi o hábito de comprar a contar com ele. 
Não há problema, mais sobra para mim!

Nunca dá ideia nenhuma do que fazer para jantar, o que vale é que come o que lhe põem à frente desde que não seja porcaria e porque sabe que a cozinheira não o vai envenenar!
Nega sempre que gosta de fast-food e que só recorre aos hambúrgueres quando não tem mais nada ou quando não lhe apetece cozinhar ou seja, sempre.
 
Quando estamos a fazer bricolage em conjunto é muito picuinhas com os pormenores e demora eternidades. Depressa e bem há pouco quem, mas eu sou uma delas e quando tento apressar a coisa, deixa ficar os seus delicados dedos no caminho de algum alicate ou martelo que eu tenha na mão para depois se queixar "da merda que eu fiz e do quanto o magoei por ser uma bruta apressada!" Coitadinho!
 
Quando vou a conduzir, vai sempre ao meu lado a dizer para abrandar, faz reparos zangados de coisas que estou a ver perfeitamente e num tom que até os outros carros andarem na estrada, parece culpa minha. 
 
Por fim tenho a meu lado um chato muito chatinho, que dá imenso jeito quando alguém que não gostamos tem que ser mandado à merda com requintes de malvadez. 
Porque já o conheço, a mim não me chateia ele com essa atitude!
 
Depois existem umas certas coisas pouco controláveis mas não menos chatas, como ressonar.
 
Eu sei que ele também tem coisas para dizer de mim, oxalá que sim, é bom sinal. Por mim está à vontade para as tornar públicas, eu quero é rir-me nem que seja de mim.
Quanto a ele, vai já dizer que não faz nada do que está acima descrito! Sim, sim...

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub