Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contos e Descontos

Autora esporádica de contos e descontos escritos a tempo inteiro

Autora esporádica de contos e descontos escritos a tempo inteiro

Contos e Descontos

12
Mai19

Romarias e procissões

Rita Pirolita

 

 
 

No verão em Portugal não há cantinho que não esteja em festa, não há forma de escapar a cascas de melão deixadas para trás para engorda de moscas e abelhas, garrafões de vinho, bôlas de sardinha, chouriço, pão de ló, bagaço, Bolicaos e refrigerantes.

Os bombeiros na companhia dos cabeçudos são presença indispensável.

Quando era mais nova e não tinha mais nada para fazer nesses dias de canícula religiosa, se não ficar a assistir à procissão, quietinha à sombra para fugir de 40 graus ao Sol, lembro-me da presença habitual na banda de um bombeiro que não tinha um braço mas o outro tocava por quatro, ia de um lado ao outro do bombo com pujança e afinco. 

Das varandas, decoradas orgulhosamente com mantas acetinadas, os crentes pobres atiravam moedas e os emigrantes notas de ‘dola’ ou franco bem abertas, para toda a gente ver o quanto davam na sua boa fé. 

Os santos nos andores tinham cabelo preto cacheado e vestiam púrpura, miúdos arrastavam-se cansados na comunhão com camisas de renda até às orelhas, até hoje não sabem que mal fizeram para tal sacrifício de desidratação e dor de pés.

 

 

02
Mai19

Santa com queda

Rita Pirolita
Em plena canícula do mês do emigrante, surge a notícia de última hora, andor da Senhora da Aparecida com cerca de 23 metros e 1500 quilos de peso, esbardalha-se e faz 7 feridos sem gravidade!
 
Aconteceu numa qualquer aldeola, perto da igreja, queda abençoada e amparada! 
Resta saber, quantos homens com que estatura e força iam a segurar o andor? 
Está visto que se dedicaram demais à catequese em detrimento da escola, chumbaram todos a matemática e física, depois queixam-se que aconteçam acidentes destes, evitáveis se tivessem feito contas ao peso, altura e força necessária para deslocar o gigantone em segurança e tivessem contado com a determinante lei da gravidade, mas não, andaram todos a rezar para passar nos testes, em vez de estudarem e deu nisto, meia dúzia de nódoas negras elevadas ao cubo! 
Já para não falar que acreditam em almas penadas do outro mundo, envoltas em fumos de enxofre do Mafarrico, quando as únicas que andam armadas aos cucos a dar trambolhões de meia-noite, estão por cá e bem vivas!
 
"Podia ter sido pior, no meio do azar tivemos sorte, e ninguém morreu, fomos protegidos", responde o tuga azeiteiro ao tuga jornaleiro.
Está na altura de admitirem que essa santa está feita uma gorda, ficou pesada demais e tentou pôr fim à vida ao atirar-se do andor abaixo, por não aguentar mais ser vítima de bullying às mãos das santas mais cabras ou é lambona e estava com pressa para ir às febras no pão ou ainda, atirou-se de cabeça para uma orgia com os seus carregadores espadaúdos e desdentados e pensou que Deus lhe ia aturar os vícios e pôr-lhe a mão por baixo! 
Rendeu-se aos pecados da gula e da luxúria, mesmo ali perante os olhos do Senhor e fodeu-se toda!
A teoria que me parece mais credível, é que esta santa alta e matulona, se calhar pensou que estava curada da paralisia e tentou andar para provar o milagre e pumba, trombas no chão! Deve ter ficado desiludida e não lhe pagaram de certeza, porque a encenação foi um logro! 
Agora deve ter ficado toda partida e paralítica a sério, não fez um seguro de profissão de alto risco e o seguro básico não paga casos de falta de fé! 
Todos os santos são peritos em ler nas entrelinhas e estão carecas de saber que Deus escreve direito por linhas tortas, tivesse esta lido as letras pequeninas do contrato ou tivesse visto para crer...
E se não fizessem andores tão altos e pesados? 
Ninguém perguntou à santa se sofria de vertigens!
E se não fizessem procissões? 
E se não fizessem nada e fossem todos segurar o balcão da tasca da esquina? 
Ficavam mais alegres e devotos ao Santo Volátil, esbardalhavam-se no curto caminho de regresso a casa, mas já levavam anestesia no lombo e de manhã acordavam apenas com uma dor de cabeça e os joelhos deitados abaixo.
 
E eu que sou tão parva e tão ateia, fartei-me de rir em frente à televisão com esta notícia, depois de saber que não havia mortos nem feridos graves, claro.
 
As coisas boas destas festas são mesmo o comes e bebes, o 'conbibio' e os carrinhos de choque ao som de Rosinha ou Quim Barreiros!!! 
Não escrevo mais que vou para a festa!

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub