Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contos e Descontos

Autora esporádica de contos e descontos escritos a tempo inteiro

Autora esporádica de contos e descontos escritos a tempo inteiro

Contos e Descontos

06
Ago20

Ai Gentil Martins

Rita Pirolita
Veio a lume mais uma polémica perante as declarações do nosso médico que se voluntariou para separar pessoas, sobre a homosexualidade ser uma anomalia. 
Provavelmente um médico considera anomalia uma condição do foro fisico e psicológico e não algo que foge da normalidade com consequências sociais. 
Como agora não se pode dizer nada que somos logo apelidados pelo BE de racistas, machistas, homofóbicos ou xenófobos, pois aqui deixo a minha singela embora extensa opinião.
Já ouvi chamar machistas a algumas mulheres e não terá sido por serem lésbicas sapatões, mas apenas e simplesmente por não malharem nos homens a torto e a direito por dá cá aquela palha. 
As feministas partem logo do princípio que se defendes os homens ou reconheces a sua simples existência estás imediatamente contra as mulheres. 
Ora esta atitude só pode ser justificada por ressabiamento e revolta com tudo na vida, fazendo destas lutas o bode expiatório para exorcizar medos e inseguranças, o que tresanda a gente desequilibrada, ninfomaníacas agrilhoadas na sua loucura, pelo politicamente correcto. 
Os homossexuais que eu saiba sempre existiram, umas vezes aceites e tolerados, outras descriminados e olhados de lado por serem vistos como a excepção que não se reproduz.
Agora que lhes é dada voz tentam dominar, impor e condicionar em seu proveito, todas as esferas da vida com protestos e atitudes e algumas exibições exuberantes, para terem a certeza que não passam despercebidos na defesa dos seus direitos e liberdade de expressão sexual, mostrando que os heterossexuais andam a perder muita loucura e gozo na vida. 
Pela parte que me toca a homossexualidade nunca foi comparável às minhas escolhas e condição, em alegria, gozo, liberdade ou prazer, nem nunca se poderá materializar numa ameaça à extinção da humanidade, nem atentado à sexualidade da maioria, vista como enfadonha.
Não sei se será correcto agradecer ou aplaudir como se de um espetáculo se tratasse, mas pelo menos sinto-me feliz que estas 'anomalias' mostrem ao mundo que não convém sermos todos iguais, eu também sou única e solitária na visão e relação muito peculiar com o mundo e suas pessoas.  
As mulheres que se insurgem contra a violência doméstica exercida sobre vitimas indefesas, fazem muito bem, embora estas atitudes de abuso e agressão sejam o prato de cada dia neste mundo, ninguém se deve calar e todos devemos denunciar. 
As mulheres pela sua fraqueza na compleição fisica e condição de mães foram protegidas de ir às guerras, essa inferioridade, na visão de muitos homens alastrou-se também à inteligência, o que não mostrou ser verdade, visto que perdendo em força física, acabaram por desenvolver estratégias que lhes permitiram dar a volta ao bom jeito feminino ao controlo dos homens, que tentando anular os seus gostos e prazeres, defendiam a honra impondo a fidelidade a ferro e fogo, nem sempre com êxito. 
As mulheres de outra condição que perdiam na honra mas ganhavam com a má fama, vendiam prazer negado pela religião em ambiente doméstico e familiar. 
A promiscuidade, a pedofilia, violações, tráfico humano, exploração sexual, infelizmente vão continuar a existir e são reflexo de uma sociedade doente, por outro lado, a maioria não tem que ter vergonha nem esconder comportamentos que outrora eram considerados desviantes, desde que sejam saudáveis e não magoem ninguém.
Os homens também sentiram desconforto ao lutar em guerras, ao matar, ao sofrer em trabalhos forçados em sítios inóspitos, ao serem dominados e escravizados por outros. 
Eu sei que todos os costumes e hábitos exigem algum tempo de mudança e adaptação e que nada muda se a revolta não agitar a estagnação e combater o comodismo e resignação. 
Se alguns homens continuam a considerar as mulheres como seres inferiores e lhes batem e humilham por insegurança para que façam parte do seu domínio territorial e animalesco porque foram mal amados e nunca saberão gostar de ninguém ou se alguns até se acobardam perante a ferocidade das feministas independentes e têm receio de mostrar a sua masculinidade? Sim a tudo. 
Se as elites sempre abusaram, roubaram, escravizaram, dominaram e fizeram questão de manter a pobreza como húmus para a sua riqueza, sendo que a maior descriminação se faz automaticamente com base na posse material e tudo se move por dinheiro, até montanhas? Sim a tudo outra vez. 
Se ninguém, nunca chamou à atenção, apontou o dedo ou condenou os senhores das guerras deste mundo? Não. 
Se massacramos a própria espécie com violência gratuita e não por razões de sobrevivência, quer dizer que alguém que mata ou manda matar apenas por ser de um pais, raça, religião ou bairro diferente, não se tem em boa conta. Defende-se e ataca os maus antes que seja atacado pelos maus que o próprio mau quer matar. 
Afinal sabemos porque nos magoamos e destruímos, atrás das lutas em defesa do bem da humanidade e do planeta está escondida a enorme vergonha de sermos o que somos, FEIOS e MAUS.
25
Jul20

Fungagá da bicharada!

Rita Pirolita
 
E pronto os animaizinhos de estimação lá vão puder ir a restaurantes designados para o devido efeito, com os seus donos extremosos e pimpões! Ou nem tanto assim?...
Não acredito que existam restaurantes a aderir, correndo o risco, se isto está tão mau como dizem, de ainda perderem mais clientela. 
Até os próprios visados, sem pôr em causa a estima que têm pelos seus companheiros de estimação, dizem que em casa é um conto e no restaurante o transtorno pode ser enorme, não só relativo a pessoas, bem como à interacção animal. 
Se levar o papagaio, o gato da mesa ao lado vai achar graça? Muita de certeza. 
Se levar a cadela com cio, o cão da mesa ao lado vai achar tanta graça que lhe salta para a espinha à frente de todos e arfa durante meia hora, debaixo de olhares repreensivos pela falta de controlo sobre os instintos patudos? 
Uma piton atira-se ao piriquito, ao hamster ou ao coelho anão? Com muita gana de certeza! 
Não estaremos a obrigar os animais a satisfazer e a andar a reboque dos nossos caprichos egoístas e prazeres que queremos sejam deles também, reflectir as nossas frustrações e desejos em seres vivos que também têm personalidade e sentimentos mas vêem o mundo de uma forma tão diferente da nossa? Isto não será também falta de respeito? Se não nos podemos pôr no lugar deles pelo menos que não lhes retiremos liberdade de serem o que são, animais de estimação, companhia e carinho! 
Não os deveriamos humanizar, isso é ultrajar a sua condição animal! 
É que um cão por exemplo, não tem noção do prazer que dá ir a um restaurante, sitio de e criado para humanos, talvez seja mais feliz a correr num parque ou na praia, a cheirar o cu aos outros cães!?
Já existe um restaurante em Portugal, que eu tenha conhecimento, se calhar existem mais e ainda bem, onde pode deixar o seu animal de estimação em segurança num espaço exterior.
Não seria um exemplo a seguir? Não sendo a solução a usar por hábito mas esporadicamente por necessidade, só mesmo em caso de não ter ninguém com quem deixar os animais?
Não era melhor preocuparem-se mais com a higiene na preparação das refeições e não introduzir mais factores que tronam mais difícil a manutenção da mesma? 
Misturar comida com animais que não distinguem locais para fazer as necessidades, coçar-se ou largar pêlo e penas, difíceis por isso de controlar, dando aso a alergias, manifestações de fobias e incómodos de torcer nariz, assemelha-se mais a um Fungagá da Bicharada!
Ah afinal tem que ir tudo à trela ou só são permitidos animais de trela? Estarão incluídos furões, crocodilos, porcos vietnamitas, cabras anãs?...
Se os donos não são todos civilizados, como teremos a garantia de os animais serem educados como deve ser? 
Além de que, pelo pouco que sei, as reacções imprevistas de personalidade e comportamento verificam-se em todos os seres vivos!?... 
Não era melhor preocuparem-se com os casos de roubo, corrupção, mentira e desgoverno que grassa no país? 
Com o caso das adopções ilegais da IURD? 
Com os casos de pedofilia na Igreja e fora dela?
Com os direitos e defesa dos idosos e criminalização dos maus tratos e abandono?
Com os direitos dos animais?
Acabarem com as touradas e tortura generalizada de animais na indústria alimentar?
Com o tráfico humano, a violência, a guerra, a fome, as alterações climáticas, a falta de água, a destruição das florestas, a poluição?...Somos uns selvagens que nem de nós sabemos cuidar, quanto mais ter ou legislar animais de estimação.
Como querem que algum Deus que existisse nos levasse em conta e tivesse respeito por nós?! Mas que a Arca de Noé foi a primeira ideia de startup de um restaurante que aceita animais, aí isso foi!  

24
Jul20

Laivos hitlerianos

Rita Pirolita
      
Cuidado que agora temos que andar tapadinhas, não nos deixarmos fotografar em posições ousadas e muito menos ganhar dinheiro com isso, é pecado, só as Kardashian e animais similares poderão atentar as nossas vistas, com mau gosto escarrapachado nas nossas caras, como um péssimo modelo de exposição a seguir.    
E assim se 'educam' os olhares, como na velha Rússia, tapa-se o que não interessa mostrar!  
No Irão as mulheres lutam pelo direito e liberdade de se destaparem e escolherem usar ou não o hijab, com largo apoio de maridos e namorados, aqui nos países ditos civilizados e evoluídos, tenta-se maldizer, tapar e assexuar, tudo é instrumentalizado em atentado ao pudor. 
Qualquer dia não podemos namorar, flertar e até pinar. Vamos todos encomendar filhos a con@ alheia, como fez o Ronaldo!
Convenhamos nem tanto ao mar nem tanto à terra. 
Não será que a nova seita de feministas tresloucadas de laivos hitlerianos e homens enconados que vão no seu encalce a ver se comem alguns restos, espalham tanto ruído que acabam por atenuar a diferença, tirar a visibilidade e meter no mesmo saco, sexo consentido entre adultos e pedofilia, fazer parecer que toda a comunidade LGBTI se está a transformar ou já é, uma maioria que vai dominar o mundo? Não precisamos de ameaças de domínios, precisamos de aceitação mútua!
Querem fazer acreditar que fomos todos concebidos cientificamente, com ausência de prazer e desejo, a animalesca atitude de saltar para a espinha uns dos outros apenas para reprodução e não por atracção pura e dura, foi o que nos salvou da extinção?... 
Será que agora nunca mais vamos poder ser mais nada que não modelos gordos e disformes ou modelos magros sem formas, forçados a aceitarem-se na sua desequilibrada existência e nova normalidade? 
'Aceita-te como és, sejas obesa ou sub-nutrida', dizem os gurus da moda! 
Os 'definidos' serão os novos anormais em países ricos, os 'indefinidos' serão mortos em ditaduras de conservadorismo?... 
Já agora para onde podemos fugir? 
É que daqui a pouco nem lobo, nem toca!
Eu sei que a humanidade tem o GPS avariado desde sempre, que nunca teve missão nenhuma, nunca soube para onde caminhava e já perdeu o Norte há muito, mas é demais que mudem as regras e estado de humor vigente a cada nanésimo de segundo neste planeta!
Decidam-se porra, já não sei se use a peruca arco-iris ou rape o cabelo, se ponha o strap-on ou o cinto de castidade ou se mije de pé ou sentada?!
14
Jul20

Os eleitos que caíram do céu

Rita Pirolita
A sociedade cria resultados maus que depois quer condenar social, legal e moralmente, como se criasse filhos e depois os castigasse pelo mau comportamento fruto da má educação que lhes deu!  
Somos todos deste planeta e isto não é de todo nenhum sentimento de impunidade para com quem mal provoca, mas será que vamos matar com ferros quem com ferros mata, combater a guerra com guerra para conseguir a paz? 
Andamos a fazer isso há milhares de anos e veja-se o resultado... 
Por usarem gasolina no vosso carro para se deslocarem para o trabalho, não têm um pouco de responsabilidade, inevitável dizem vocês, para desculpar e acalmar a consciência e porque o mundo assim está construído, nas guerras e regimes assentes no ouro Negro no Médio Oriente, Africa e América Latina?  
Quem atira a primeira pedra com ódio e raiva gostaria de ser julgado em praça pública pelos seus erros mesmo que os tivesse praticado com pouca assunção de responsabilidade, por exemplo na adolescência e não ter hipótese de corrigir? Ou são todos uns santos?  
Os homens e mulheres de amanhã agem de acordo com a educação que lhes dão, se for sem tempo ou a correr com pouca atenção, teremos o resultado equivalente. 
A vida é feita de causas e consequências e quanto menos responsáveis menos livres.  
Precisamos de gerações depuradoras dos educadores coxos que temos, que não conseguem eles também ser saudáveis pelo imposto ritmo alucinante de vida e falta de tempo! 
Será que conseguimos benfeitores espontâneos, que se livrem da pesada consequência, exorcizem os traumas e que reajam por oposição à má prática? 
O comportamento humano não pode ser analisado como se de um robot se tratasse.
A pedófilia por exemplo, tem tanta cura como há muitos anos atrás se dizia que a homossexualidade era uma doença. 
O cancro é uma doença inerente à existência de seres vivos e apesar de a cura estar neste planeta, não andamos à procura dela noutra Galáxia, anda a indústria farmacêutica a adiá-la em nome de fazer dinheiro à custa de sofrimento que já poderia ser evitável, de tratamentos violentos que nem garantem grande sucesso mas mantêm os doentes vivos, sem serem saudáveis! 
Por outro lado somos suficientemente parvos para não aproveitarmos os recursos que temos e deixarmos gente a morrer à sede e à fome e depois irmos para Marte à procura de vestígios de água!
Crianças abusadas e pedófilos, são também o retrato da humanidade, umas vezes abusados outras vezes abusadores, vitima e agressor não existem um sem o outro, neste caso a defesa é desequilibrada, por força maior de um adulto que encontra na criança um alvo fácil para dominar, os papeis alternam. 
O tratamento de crianças abusadas nunca foi negado e falar no acompanhamento de pedófilos não quer dizer que estejamos a pactuar com os seus actos desviantes.
Não podemos continuar a tratar as vitimas como coitadinhos apáticos e os agressores como monstros de outro planeta, sem causa aparente, gente apenas doente e coitada.
Ninguém está livre de cometer delitos, a gravidade dos mesmos exige soluções à altura. 
A lei de anular quem não é normal sempre existiu e continua a existir e isso mostra um grau civilizacional baixo da humanidade que não consegue comportar os seus erros.
Ah esperem, os malucos criminosos deixam de ser humanos, essa é a sua condenação? Impossível de aplicar! 
Quando a educação é má ou inexistente, as crianças ficam ao abandono, à mercê de adultos que lhes fazem mal porque também eles são mal formados. 
Se amor-próprio e autodeterminação existissem, não haveria lugar para humilhações deste tipo de seres tão pequenos que absorvem tudo o que lhes fazem, ficam traumatizados e vingam-se noutros sob variadas formas de abuso, humilhação, violência, violações, guerras, homicídios.
Daí não causar admiração o resultado de um estudo recente entre adolescentes que aceitam e até acham normal, a subjugação no namoro por algum tipo de violência humilhação ou chantagem.
Afinal já todos fomos crianças e pertencemos ao mesmo planeta, percebem o ciclo de ódio que tem que ser travado e que algumas pessoas alheias ao assunto instigam? 
A melhor solução está nos envolvidos e não nos 'bonzinhos eleitos' que picam de fora e defendem o que não sabem, apenas baseados em nojo e pouca racionalização e aceitação do problema para assim o poder resolver. 
Separar, nós os bons e os outros, os maus, é o pior engodo de inclusão em que podemos cair!
Porque quando nada se resolve, mantemos o problema e continuamos a alimentá-lo.
Temos em mãos uma enorme solução a tomar, a própria humanidade que já caminha para a destruição desde a sua existência, porque não matá-la muito antes em nome da justiça dos 'bons' que parece vieram de Marte para nos salvar e até se elegeram a eles próprios??? 
Este é um caminho perigoso, cego e prisioneiro de falsos altruísmos, de gente que não sabendo o que diz ainda traz mais achas para a fogueira do mimo e das vaidades, que arde sem se ver e queima sem saber!

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub