Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contos e Descontos

Autora esporádica de contos e descontos escritos a tempo inteiro

Autora esporádica de contos e descontos escritos a tempo inteiro

Contos e Descontos

20
Jul20

Viver em hotéis

Rita Pirolita
Gostava tanto de viver em hotéis até ao fim da vida, não ter chaves de casa fixa, não me pertencerem móveis nem cama, uma constante de lençóis brancos e luz de recepção a bater nos olhos, tampos de sanita frios, lavatórios rasos, torneiras pequenas, espelhos vanity, parcos cabides para não exagerar em roupa, cortinas espessas, telefone cor de mãos suadas e respiração, digitais luminosos, telas sem autor, A/C barulhento ou nem por isso, desligado é melhor, pequenos-almoços sem faltar café, dispensados ovos, bacon e leite, bem vinda fruta, compota e pão, empregados assim-assim, ruído controlado, suspiros descontrolados, peidos e água a correr, barulho de TV ao fundo, à noite o silêncio da colcha, da cadeira e alcatifa, adormeço nas almofadas a mais, na companhia a menos.
21
Set19

Dégolas!

Rita Pirolita
 
 
Como já perceberam, não sou fundamentalista com nada e até gosto de dedicar algum tempo da minha vida a experimentar coisas que pareçam válidas e exequíveis, para assim ir fazendo as minhas escolhas, aproveitar um pouco daqui e dali para tirar as minhas conclusões, boas ou más, passando é claro por muitos erros.

Há muitos anos decidi não comer mais carne, ovos ou beber leite, tudo isto me andava a enjoar, o cheiro, o sabor, as digestões difíceis e longas demais, enfim, passei a sentir-me melhor e isso foi o mais importante. 

Um dia quis ser mais saudável que a própria saúde e comecei a fazer uma alimentação macrobiótica, muito disciplinada e rigorosa, acompanhada por um interesse crescente pelo budismo e consequente evolução e limpeza espiritual. 
Escusado será dizer que adorei a descoberta mas aquilo não era para mim, andava na rua a arejar o esqueleto com o peso que tinha perdido.

Deixei-me de coisas e passei a guiar-me mais pela minha intuição sem nunca pôr de parte o precioso conhecimento que até ali tinha adquirido. 
De facto comecei a andar mais espevitada e não abandonei a fórmula até hoje.

Continuando a adorar a cozinha portuguesa, que é uma das melhores do mundo, de vez em quando faço incursões pelo seitan ou pelo tofu, pelo couscous ou pelo bulgur, cogumelos e vegetais sempre a transbordar do prato e sopa forever!
Já me aventurei a comprar comida vegetariana processada e a desilusão foi grande, desde salsichas de soja a queijo ou patés vegetarianos...dégolas!
Nunca represento um problema para os amigos quando me convidam para jantar, não têm que fazer um prato especifico para mim porque sabem que me desenrasco sempre com os acompanhamentos. 

Faço por ser flexível, até porque gosto muito de viajar, e ser picuinhas em países como a China, Malásia ou Filipinas?... Ninguém te liga nenhuma e se não fizeres pela vida passas fomeca.

Por tudo isto, não lido bem com pessoas que se controlam demais na esperança de viverem até aos 200 anos e morrerem saudáveis...que seca, esses mais vale despachá-los logo, jovens e ainda belos para não azucrinarem mais a cabeça aos outros.

Não concordo com o sacrifício de animais para satisfazer prazeres gastronómicos, está provado que não precisamos de carne para viver ou sobreviver, pelo contrário, o seu consumo excessivo traz problemas de saúde e ambientais, por outro lado sou capaz de gracejar sobre o excesso de zelo de determinadas pessoas em seguir à risca o que quer que seja, privando-se de dar e receber alegria e da liberdade de fazer asneiras de vez em quando.
21
Set19

Mãe, achas que era muito pedir uma bicicleta?

Rita Pirolita

 

 
Filhos...não tenho!
Certo dia disseram-me - 'não fiques à espera de sentir o chamamento da maternidade, isso só vem no momento em que engravidares!'.
Porra, e vou engravidar primeiro para tirar as dúvidas depois, nãããããã!!!

Com o azar que tenho ainda me sai um filho autista, de qualquer maneira fico com um mono que só sai de casa aos 30 ou 40 anos, consome dinheiro até à minha reforma ou até eu morrer, reproduz-se e dá-me netos para cuidar, sustentar e sugarem mais, sem puder ir de férias a lado nenhum. 
Desde cedo já estava a passarinhar fora da gaiola e se tivesse sido antes também me desenrascava.

Só engravidaria na vida se puséssemos ovos que dessem para pôr no frigorífico a "frizar", para podermos ir de férias sem parecer um carro de combate estacionado na esplanada. 
Quando os petizes nascessem não mamavam porque quem nasce de ovos não chupa leite. 
No máximo ao fim de um ano saíam da gaiola e encontrávamo-nos de vez em quando para beber um copo.

Isto de ter filhos e olhar para eles a crescer...não vejo onde está a piada, olhem os bebés pretos e chineses, são uma gracinha mas quando crescem, ai kamedo!... 
Para obter os melhores resultados na lavagem da sua roupa misture raças! 
Já agora, expliquem aos primos directos que só os cães e outros animais podem cometer essas infâmias sem maus resultados. 

Mais, tem-se filhos para continuar o sangue da família... Algumas famílias são tão más que mais valia acabarem logo ali, além de que andamos a criar seres que aumentam a pobreza e as estatísticas de doenças como a diabetes e a obesidade. 

Pensem comigo, querem continuar a família? 
Ninguém está preocupado em preservar a espécie, não estamos em extinção, só podíamos ter vindo de um par de células que se reproduziram por isso somos todos família, filhos da mesma origem, então para quê fazer mais filhos?... Não vamos desaparecer, pelo contrário, destruímos tudo como as pragas. Já fizeram as contas a quantos já somos?
Se não nos matássemos uns aos outros e não houvessem doenças já não havia espaço para tanta gente e tínhamos que ir viver para a Lua ou para Marte. 
Era da maneira que a ida à Lua deixava de ser mentira!
Porque não controlar a população de forma mais natural e menos violenta?...
 
E por fim, tem-se filhos para fazerem companhia e tratarem dos pais no fim da vida...MENTIRA!
Espetam com os velhos nos lares e abandonam-nos nos hospitais.

Ter filhos é um acto de egoísmo. Olhem para o lado e comecem por tratar bem os que já cá estão. 
Atenção, eu gosto de miúdos...os dos outros...e tem dias. 
Gosto mais de cães. 

Fedelhos, quando a mãe vos perguntar se querem um mano, perguntem de volta, se era muito pedir antes uma bicicleta, se ela acha que tem abertura (mental) para tal???

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub