Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contos e Descontos

Autora esporádica de contos e descontos escritos a tempo inteiro

Autora esporádica de contos e descontos escritos a tempo inteiro

Contos e Descontos

08
Ago20

Atracção

Rita Pirolita
Todos se degladiam pela atracção de turistas, nem que seja a aldeia mais ranhosa e perdida no meio do deserto fronteiriço, sem qualquer vestígio histórico de monta como se os turistas fossem a única fonte de rendimento do país, mesmo em aldeias que não tenham ninguém...
Se calhar têm que começar a criar lugares assombrados com histórias ancestrais de terror, assassinatos sangrentos, pegadas de dinossauro em lajes de cimento ou virgens santas que perderam as cuecas, talvez assim comecem a florescer os extintos negócios locais e daí até alguém pensar em reanimar a indústria, agricultura e pescas, seja um passo!...
Isto sou eu a deduzir na minha inocente tuguice azeiteira!
Mesmo as mais pequenas autarquias, são apetecíveis, não são novidade as acusações constantes de derrapagens de orçamentos ou corrupção, de abandono das gentes em áreas tão fracturantes como a saúde, o ensino e a justiça...
É tudo tão fácil mas fazem todos o mesmo...não fazem nada e comem tudo!
Não têm a noção que além de não saberem disfarçar bem a mentira, o discurso convicto apela ao voto, a imagem é tendenciosa, nem sempre os de esquerda têm que se apresentar de camisa esgoelada sem gravata, quase de jardineiras e as ladys da direita de fato Chanel, quase com kiwis. 
As pessoas não se importam de ser enganadas, até têm mostrado que gostam mas queridos autarcas elevem o nível da coisa e caros eleitores reivindiquem mais requinte e beleza na mentira!
25
Jul20

Policias dos outros e de nós

Rita Pirolita
Preparados para a mentira em banho maria, mais que desacreditar, somos polícias munidos de insultos com pouca opinião e muita raiva, pequeninos jornalistas de parangonas a viver de likes. 
Alguns dizem que Zuckerberg controlará o mundo a partir de Silicone Valley, como qualquer mortal que tem poder da noite para o dia quererá ser imperador do mundo, ter a informação de crédito de muitos, da orientação politica, dos desejos  e vícios. 
Sentir importância no Twitter ou Instagram, termos a ilusão de mudar o mundo, de sermos notados mas estamos todos controlados por publicidade mudada ao minuto, ao sabor  do nosso humor, para nos condicionar e iludir na liberdade de pensamento.
Que nos interessa saber se quem está do outro lado é real ou falso, se queremos todos os dias alhear-nos da realidade da nossa vida com enganos de construir carreira, educar bem os filhos, fazer melhor aos amigos, sermos bondosos e altruístas...todos queremos ser grandes imperadores do nosso pequeno mundo e sair logo de manhã a dominar ou pelo menos a não nos deixarmos engolir por outros miseráveis imperadores! 
Se o ilusionismo sempre foi admirado e passa-se à frente dos nossos olhos, se todos os grandes homens se fizeram no logro, mentira e alienação para chegarem ao poder, porque não sermos enganados sem ver o mentiroso e nem querer saber do crédito na verdade, tudo é baralhado a velocidade alucinante. 
Esta luta não se fará minha!
Cada vez mais quero viver num sítio com poucos ou quase nenhuns, ser feliz a saber pouco do mundo e que o mundo quase nada saiba de mim!
25
Jul20

Fungagá da bicharada!

Rita Pirolita
 
E pronto os animaizinhos de estimação lá vão puder ir a restaurantes designados para o devido efeito, com os seus donos extremosos e pimpões! Ou nem tanto assim?...
Não acredito que existam restaurantes a aderir, correndo o risco, se isto está tão mau como dizem, de ainda perderem mais clientela. 
Até os próprios visados, sem pôr em causa a estima que têm pelos seus companheiros de estimação, dizem que em casa é um conto e no restaurante o transtorno pode ser enorme, não só relativo a pessoas, bem como à interacção animal. 
Se levar o papagaio, o gato da mesa ao lado vai achar graça? Muita de certeza. 
Se levar a cadela com cio, o cão da mesa ao lado vai achar tanta graça que lhe salta para a espinha à frente de todos e arfa durante meia hora, debaixo de olhares repreensivos pela falta de controlo sobre os instintos patudos? 
Uma piton atira-se ao piriquito, ao hamster ou ao coelho anão? Com muita gana de certeza! 
Não estaremos a obrigar os animais a satisfazer e a andar a reboque dos nossos caprichos egoístas e prazeres que queremos sejam deles também, reflectir as nossas frustrações e desejos em seres vivos que também têm personalidade e sentimentos mas vêem o mundo de uma forma tão diferente da nossa? Isto não será também falta de respeito? Se não nos podemos pôr no lugar deles pelo menos que não lhes retiremos liberdade de serem o que são, animais de estimação, companhia e carinho! 
Não os deveriamos humanizar, isso é ultrajar a sua condição animal! 
É que um cão por exemplo, não tem noção do prazer que dá ir a um restaurante, sitio de e criado para humanos, talvez seja mais feliz a correr num parque ou na praia, a cheirar o cu aos outros cães!?
Já existe um restaurante em Portugal, que eu tenha conhecimento, se calhar existem mais e ainda bem, onde pode deixar o seu animal de estimação em segurança num espaço exterior.
Não seria um exemplo a seguir? Não sendo a solução a usar por hábito mas esporadicamente por necessidade, só mesmo em caso de não ter ninguém com quem deixar os animais?
Não era melhor preocuparem-se mais com a higiene na preparação das refeições e não introduzir mais factores que tronam mais difícil a manutenção da mesma? 
Misturar comida com animais que não distinguem locais para fazer as necessidades, coçar-se ou largar pêlo e penas, difíceis por isso de controlar, dando aso a alergias, manifestações de fobias e incómodos de torcer nariz, assemelha-se mais a um Fungagá da Bicharada!
Ah afinal tem que ir tudo à trela ou só são permitidos animais de trela? Estarão incluídos furões, crocodilos, porcos vietnamitas, cabras anãs?...
Se os donos não são todos civilizados, como teremos a garantia de os animais serem educados como deve ser? 
Além de que, pelo pouco que sei, as reacções imprevistas de personalidade e comportamento verificam-se em todos os seres vivos!?... 
Não era melhor preocuparem-se com os casos de roubo, corrupção, mentira e desgoverno que grassa no país? 
Com o caso das adopções ilegais da IURD? 
Com os casos de pedofilia na Igreja e fora dela?
Com os direitos e defesa dos idosos e criminalização dos maus tratos e abandono?
Com os direitos dos animais?
Acabarem com as touradas e tortura generalizada de animais na indústria alimentar?
Com o tráfico humano, a violência, a guerra, a fome, as alterações climáticas, a falta de água, a destruição das florestas, a poluição?...Somos uns selvagens que nem de nós sabemos cuidar, quanto mais ter ou legislar animais de estimação.
Como querem que algum Deus que existisse nos levasse em conta e tivesse respeito por nós?! Mas que a Arca de Noé foi a primeira ideia de startup de um restaurante que aceita animais, aí isso foi!  

22
Jul20

Cabeça no ar

Rita Pirolita
Eu sou uma cabeça no ar, principalmente se me encomendarem atenção. 
Não serei como todos? Só boto atenção àquilo que me desperta interesse. 
Mesmo que assim seja, o meu caso será sempre o meu caso!
Se vejo um filme que não me agarra logo de início, olho pela janela a ver se chove lá fora, agarro no telemóvel, vou comer, vou fazer xixi mesmo sem muita vontade, eu sei lá!... 
Se alguém desinteressante fala comigo continuo a fixar a pessoa com ar de tresloucada, imagino eu, mas já com a cabeça noutro planeta! 
Os meus interlocutores devem dar conta, quanto mais não seja quando me perguntam 'estás a ouvir o que estou a dizer?' e eu aceno afirmativamente com a cabeça, com pouca convicção e tanta mentira que nem me atrevo a vocalizar com um 'sim, sim entendo perfeitamente!'
Consigo estar a ver duas coisas ao mesmo tempo e dar relativa atenção a ambas mas se não me atraí, até me podem bater que eu não ligo!
Uns dizem que são sinais de leve autismo, outros déficit de atenção e outros ainda que é genialidade!
Vá lá a gente entender que um autista pode ser muito inteligente e que um génio anda sempre com a cabeça na Lua!
Às tantas faço-me de burra para o que me dá jeito! 
Com esta mania de agora se catalogar tudo, só falta voltarem a fazer cadernetas de cromos para coleccionar doenças, desvios e alergias e andarmos com elas atrás, como se de um boletim de vacinas se tratasse. 
Eu não sei lá o que tenho mas tem-me salvo de aturar artisticamente gente que não gosto e olhar para coisas de merda que no fundo não vejo!
20
Jul20

Prazer de líder

Rita Pirolita
O prazer mesquinho e sede de poder dos líderes mete-me impressão, parece-me robótico e muito pouco humano na sua boa vontade, na parte pior parece muito actual e generalizado como comportamento aceitável.
Todos os líderes acabam por chamar a si o papel de alienadores espirituais, no fundo qualquer politico, director ou patrão, têm que dominar e saber controlar pelo medo, pela mentira ou pelo falso respeito! 
Ninguém de jeito, num mundo melhor se deixaria dominar ou mandar por um igual, acharia que estava na posse das suas faculdades para tomar as melhores decisões para si e por consequência para todos.
Como líderes com muita sede de governar, têm que saber induzir confiança, destroem, desmantelam, amesquinham, atirando por terra a vida e amor próprio de qualquer um, despojam a auto-estima de todos, para depois injectar alienação livre de julgamento e contestação. 
Em campanhas políticas, seitas, igrejas, é necessário normalizar para nivelar tudo pelo mesmo para que não se formem ondas, todos devem estar anestesiados, serem coitados descriminados postos em banho-maria para alucinações colectivas e mais tarde dependência do despojador, que vende quimeras tão perfeitas de tão podres e pobres.
Como pode alguém ter coragem de fazer discursos de liberdade e independência, quando querem dominar e convencer a alimentar a sua única ambição, o poder. 
É ignóbil abusar de premissas honestas para conquistar o oposto. 
Também é verdade que quem se acomoda está a pedir que lhe chupem o sangue e os vampiros da sociedade estão sempre à espera em cada esquina, de vítimas enfraquecidas e doentes para atacar.
Mesmo eu não sendo nenhum exemplo de boa pessoa, nem por lá perto e cada vez menos gostar de gente, não faço mal a ninguém e seria incapaz de liderar ou mandar fosse em quem fosse. Ia sempre sentir que estava a anular alguém para que me seguisse cegamente e como bem se sabe, as pessoas quanto mais abandonadas e vazias mais vulneráveis a serem influenciadas e dependentes de falso bem estar e facilidades. Detesto gente mole e insípida!
As paixões e amores só são palpáveis se forem sofridos, traídos, conquistados, disputados, possuídos, dominados, espancados, ciumentos...
Que canseira, amar de verdade não dá trabalho, não é prisão nem causa sofrimento!
Tantas vezes pergunto, serei a única a notar falsidade em palavras de líderes, olhar diabólico em gurus de seitas, gestos programados em governantes?...
Se não sou a única porque continuam a existir e a ser adorados?... 
Sendo assim não bastaria só aos lideres e más pessoas ficarem quietos por algum tempo para respirarmos liberdade e bondade? Vá lá não custa nada, é só não mexerem uma palha.
Nunca pensei que chegássemos a um estado tão pavoroso neste planeta que o melhor seria a inactividade e não a evolução.
18
Jul20

Sem corpo ou mundo

Rita Pirolita
Não sei se aquilo de que vou falar tem alguma explicação em psicologia ou psicanálise mas sinto ainda mais agora o que sempre senti desde que me sei como gente, desde que tenho memórias, desde os 3 anos.

Um desconforto enorme por estar neste mundo como se a minha existência estivesse desajustada no tempo e no espaço, quase errada, sinto-me excesso, à parte, apartada, pensar este corpo atribuido é estranho, não me reconheço, não me sou familiar ou una, este corpo errado ou certo não o sinto meu. Sinto distância, desempatia, sinto-me ludibriada na raça a que devo pertencer. 

Tenho nojo e ao mesmo tempo pena de pedófilos, assassinos, ladrões, gente má e sovina, das vitimazinhas e das almas infelizes e em sofrimento dos agressores, dos velhos velhacos e dos putos sem criação. 

Sou a única? Talvez este mundo tenha surgido para outro tipo de seres que não eu, aqui serei sempre trucidada pela malvadez e complicação do simples. 

Poderei ser uma experiência do universo para ver até onde chegam almas levadas à exaustão da mentira. 

Não me extingo tão facilmente mas este nunca será o meu corpo nem o meu mundo.
17
Jul20

Deep, deep inside...

Rita Pirolita
Até gosto das redes sociais! 
Não fiquem já de orelha no ar, passo a explicar por exclusão de partes! 
Se as pessoas são uma merda ao vivo e se reinventam e mentem no virtual, quererei conhecer a realidade para ficar mais zangada com a constatação do pior? 
Prefiro mentira vergonhosa e descarada que não me toque e sei não dever acreditar que realidade suja de que fujo com nojo! 
Eu quero lá saber o que as pessoas são na realidade quando não me relaciono com elas e por isso quanto mais longe melhor?! 
Se querem inventar para agradar, força, aprecio mais esse circo imaginado a colorir a vossa aridez!
A melhor maneira de se protegerem é nem se aproximarem de um computador, não é manterem a conta e só irem lá de vez em quando, porque não se lembram do aniversário dos amigos! Basta terem um cartão de crédito e sabe-se logo por onde andam e o que andam a fazer!
Se entregamos os pontos por 8 também vendemos por 80, ou acham que o Zuckerberg seria milionário se não recebesse nada em troca pela informação que traficou?
Muitas pessoas não vão gostar de ler isto, primeiro porque sabem que é sincero e depois porque correm o risco de admitir não serem gostadas.
Só para amar não é preciso razão e à maioria falta tudo, nem razão para odiar, nem inconsequência para amar!
Começam depois a vir à memória os pontapés da vida, os camelos que abandonaram e deixaram a falar para as paredes, as boas pessoas que vocês sempre tentaram ser com tanto esforço e no fundo nunca ninguém mereceu a vossa cândida e desinteressada alma, tão desinteressante na procura de aprovação e reciprocidade, diga-se de passagem.
São sempre demais aqueles que adensam o trauma e medo de futuras entregas. 
Quem abre o coração não deve ficar à espera de esmolas, o amor é uma partilha não uma troca contada!
Poucos são os que dizem não gostar e ainda menos os que lidam bem com o ser desgostado, desamigado ou bloqueado, por isso é que mentimos tanto, na ilusão de sermos aceites satisfatoriamente, se for plenamente ainda melhor.
Até parece que fazem ouvidos moucos do provérbio que não se pode agradar a Gregos e Troianos ao mesmo tempo, se nos desunharmos para conseguir o oposto a essa vergonhosa façanha, é mau sinal, sinal que não temos convicções nem coerência, pelo menos connosco próprios e que andamos sempre com paninhos quentes para manter o seguro ambiente tépido ou tapar com manta de pobre, que não só descobre as pontas como deixa tudo a nu.
A vantagem do virtual é que mesmo a mentira tendo perna curta, pode-se manter, adensar, embelezar ou destruir e mudar para outra, quando bem entendermos. A verdade é uma quimera, somos nós que a moldamos, tal como a mentira.
Há lá melhor maneira de viver o mundo sonhado na realidade de um écran?!...
Fora destes mundos a minha vida é uma realidade solitária, simples e limpa de intoxicações!

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub