Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contos e Descontos

Autora esporádica de contos e descontos escritos a tempo inteiro

Autora esporádica de contos e descontos escritos a tempo inteiro

Contos e Descontos

05
Ago20

É urgente a gente

Rita Pirolita
É urgente a gente voltar a ser considerada. 
O ensino politécnico foi descontinuado e substituído por uma formação profissional com contornos perversos de esconder  os elevados números do desemprego e não proporcionar sucesso e empregabilidade. 
Vivemos todos a ilusão dos quadros superiores com licenciados mas esquecemos os quadros intermédios e ainda mais a formação de operários tão ou mais importante que os directores ou administradores que são em muito menor número numa empresa. Todos querem ser engenheiros e doutores. 
Lembro-me que nas décadas de 70 e 80 a maioria da indústria transformadora em Portugal tinha empresas que forneciam formação contínua aos trabalhadores que tinham regalias sociais e comparticipações na saúde, transporte, refeitórios... 
Cooperativas que falharam a defesa dos artesãos e agricultores por serem alvo de roubo e exploração da boa vontade de quem trabalhava e contribuia na melhor das fés! 
Tudo era suportado por quem tinha o esforço e não era por isso que os ordenados eram baixos, pelo contrário, na proporção estamos muito pior hoje e sofremos de maiores discrepâncias sociais. 
Todas as grandes empresas faliram por abandono e desinteresse político em trabalhadores esclarecidos com postos de trabalho, todos eles dignos, desde a empregada de limpeza à telefonista ou ao chefe de secção com ordenados confortáveis e mais justos. 
As actuais empresas são apenas intermediárias de serviços, não produzindo quase nada e importando quase tudo, exploram e têm condições e salários quase escravizantes, para que muito contribuíram as políticas de pendor marxista da maioria dos sindicatos no combate fervoroso ao capitalismo! 
A globalização trouxe os seus inconvenientes!
Estas guerras de poleiro sempre desviaram o caminho do país do essencial, um caminho que deveria ser de dignidade e orgulho e não de venda e submissão a uma UE de ricos, França e Alemanha. 
Este é o resultado de governações desastrosas desde sempre que depauperaram a produção nacional e empurraram tanta gente para fora! 
Querem fazer política com ideologias e filosofias de cordel sem pensar nas pessoas? Não vivemos só do ar mas da conjugação do sol, da terra, da água, do mar e precisamos de gente para os aproveitar...
Deixamos de ser afoitos descobridores para passarmos a amorfos observadores!  
Combater a alienação e estimular a lucidez é URGENTE!
22
Jul20

Prioridades

Rita Pirolita
Já falei por aqui amiúde de prioridades mas agora vou-lhes dedicar um texto inteirinho, também merecem, ó se merecem! 
O que será pior, dizer moderadamente asneiras à moda do norte em momentos de tensão ou não saber expressar ideias, interpretar textos nem escrever correctamente português? 
É óbvio que o pior dos cenários será misturar tudo isto numa só pessoa e não serão assim tão difíceis de encontrar!
Será pior ter formação ser bem falante mas pouco sensível e de vistas curtas ou ter pouca instrução e até parca cultura mas ser dono de sabedoria que parece conhecer mundo sem nunca ter saído do sítio onde nasceu, ter comportamentos equilibrados e sinceros que não pactuam com injustiças?
Será pior escrever todo o tipo de impropérios clubísticos, chegarem a vias de facto à entrada dos estádios antes e depois dos jogos ou gastar algum tempo a discernir as mentirosas notícias que nos tentam impingir e dedicar algum esforço em perceber o que se passa, não muito longe de nós e que também é consequência do nosso desleixo, em perceber que líderes pouco conscientes nos desgovernem com tanta facilidade? 
Na adversidade e gostaria que tivesse sido por educação doce e fluída, construí linhas por que pautar a minha acção, solidificar o interior largando lastro de coisas menores, o menos é sempre mais na sua magnânima simplicidade, persigo a coerência comigo própria e o uso exaustivo de lucidez. 
Guio-me assim por uma visão consistente, tento ao máximo reunir vários prismas dum mesmo assunto para assim ser mais segura na opinião. 
Não me quero autoproclamar guru da boa aventurança mas sem rodeios, a minha vida ficou mais simples e despreocupada, mais apetecível e descontraída!
Gente que tenha uma personalidade periclitante não será de fiar, será contida, sempre a querer agradar, politicamente falaciosa, corruptível, não olhando a meios para atingir fins, falsa, dissimulada, com pouco respeito pela integridade, desprezíveis coitadas.
Todo este cenário comportamental de muitos, relativiza perigosamente valores, o que pode afectar no seu extremo e pôr em causa o discernimento da verdadeira felicidade ou mesmo o sentido da vida e a importância da morte, o fio que separa ambas é tão essencial e ao mesmo tempo quebrável de tão forte, é tão preciso que alguém o veja com respeito, sem cegueiras ou artimanhas!
20
Jul20

Não sou de recados

Rita Pirolita
Não sou de mandar recados, seria uma trabalheira falar em casos particulares e um dos confortáveis usos da escrita também é este, uma só pessoa dizer a muitas o que pensa e cada um daí tirar o que lhe aprouver e deitar fora o que não gostar ou magoar.  
Sou rude e directa mas aceito que para os mais sensíveis ou mesmo susceptíveis poderei parecer agressiva e zangada.
Sou sarcástica, ácida e treino a lucidez todos os dias e acreditem que mesmo escrevendo sobre coisas sérias, estou com um sorriso nas fuças, imaginem-me assim em frente ao écran do computador e estarão a ver a realidade mas reconheço que devo dizer muita coisa que muitos não querem ouvir ou fogem de pensar e por isso ainda me chamam de arrogante. 
Não sou de andar a caçar elogios, digo o que penso e por isso alguns chamam-me de vaidosa de tão segura! Inveja? Talvez mas não é minha, é de mim, não me detém nem arrepia, quem a tem que lide com ela, que a guarde nas catacumbas da alma sem luz a ver se definha. 
Só peço que poucos ignorantes me cruzem caminho e por ignorantes neste preciso caso, considero aqueles que se apoderam das certezas incertas da vida, os que estão seguros que os amigos são para toda a vida, os filhos também e a família, fazem planos para viver a reforma sem antes ir gozando o dia-a-dia, dizem não querer agradar a ninguém mas depois mexem-se apenas por competição, para provar aos outros o que valem e para manter amigos de companhia, já deviam saber que a competição mata a originalidade e assente nas premissas erradas, puxa pelo pior de nós, exigem satisfações, dão constantes palpites sobre vida alheia e assim vivem a vida dos outros tão ou mais vazia que a sua, cobiçam felicidade, viagens e ausência de rugas, estão sempre mal por estarem sós ou mal acompanhados, não suportam o ruído da sua própria alma, se aprendessem a amar a sincera solidão, ouviriam ecos de melodia.   
Não sou eu que vos digo todas estas coisas, é a vida que o diz através de mim, por isso qualquer nome que me queiram chamar, chamem primeiro à porca madrasta finita que nos vai moldando, fazendo sonhar e tropeçar na realidade e a cuja morte leva sempre a melhor e não se esqueçam de supor menos e rir mais enquanto é tempo.
Não se deitem a adivinhar, atirem-se de cabeça!
19
Jul20

Julgamentos de pedestal

Rita Pirolita
Não é achando a nossa visão a supremacia da lucidez que nos dá o direito de julgar todos como burros e torpes, mais talvez como alienados muitos e uns poucos lúcidos com ideias diferentes! 

Por mais fortes que as palavras sejam o conhecimento e clarividência só chegam a quem está preparado e aberto a tal e existem tantas formas altruístas e reais de pensar sobre as mesmas coisas, estejamos nós dispostos a tal! 

Cuidado com julgamentos de pedestal! 

O humor e sarcasmo não têm limites mas nem todos choram a rir do mesmo!
07
Abr20

Ignorância, iliteracia e burrice

Rita Pirolita
A todos os que me chamam de snowflake?...Mais vale ser efémera, não somos todos na nossa existência?...Que parecer um efémero monte castanho a fumegar.
Aos que me acusam de generalizar e se insurgem querendo provar que são diferentes e únicos e fazem parte de uma minoria erudita, nada mainstream ou populista?... 
A generalização é isso mesmo, não considerar casos particulares, porque me perderia em enumerações infindáveis!
Aos que me dizem, 'deves achar que és mais esperta que os outros?...
As pessoas inseguras quando acusam o toque ou lêem algo que faz sentido (não sou dona da razão, apenas expresso opiniões que quase seguramente consigo defender) mas não querem admitir, são agressivas, não querem discutir ideias nem aprender ou partilhar.
O mais flagrante e recente episódio adveio da opinião que expressei quanto à série GoT que tantos seguidores arrasta, não me mostrando simpatizante deste género fantástico descrevi a série como um conto infantil com dragões e anões, repleto de cenas ao bom estilo PornHub, recomendável para adultos, ou seja, um estilo confuso e talvez propositadamente baralhado, que apela ao mais básico do entretenimento, o que não lhe retira de todo o direito a ser exibido, sendo apenas consumido por quem gosta.
Ninguém é obrigado a ver mas para saber se gostamos ou não convém ver pelo menos 1 ou 2 episódios, foi o que fiz quando a série foi exibida pela primeira vez em 2 mil e troca o passo.
Dentro do grupo dos que gostam uns conseguem separar o real do fantástico imaginário mas outros, alienados e viciados com semelhanças assustadoramente próximas de atitudes terroristas vingativas, apenas conseguem vomitar em atropelo gramatical ameaça e injúria a quem não partilha o mesmo gosto.
Aos que acham que ser muito radical e não fazer parte da carneirada, consiste em coisas tão simples como não ver ou nem saber que série é esta, que se deixa tratar pelas iniciais de GoT, não sei quem vos anda a enganar mas para mim é muito mais que isso, passa por ter firmeza, lucidez e flexibilidade nas ideias que se expressa e defendê-las com a consciência da responsabilidade e alcance daquilo que se escreve.
Muito mais que o desejável, existem casos de flagrante iliteracia, diferente da ignorância, em que não se sabe e até se vive feliz.
Iliteracia não é só não saber ler nem escrever, é também não saber interpretar e quando não  se compreende, responde-se com bugalhos a quem diz alhos! 
Existem ainda os tristes casos daqueles que além de não perceberem fazem finca pé de não quererem perceber, burros e teimosos que apenas querem consumir tempo precioso a gente de bem. Porcos a quem não convém dar pérolas!
A toda a carneirada vampiresca...vão chatear a carneirada remelosa a que pertencem e parem de desdenhar e cobiçar o que não têm ainda capacidade para compreender. 
Chegará o dia, nunca sem muita vontade inerente de terem o arcaboiço para acolher alguma clarividência...ou não!...
Nenhum totó se vai rever aqui, na sua própria descrição, no fundo estive a escrever para uns poucos...vale sempre a pena!
 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub