Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contos e Descontos

Autora esporádica de contos e descontos escritos a tempo inteiro

Autora esporádica de contos e descontos escritos a tempo inteiro

Contos e Descontos

05
Ago20

Feminismo

Rita Pirolita

O feminismo não reclama mais que um dos princípios da Revolução Francesa, a igualdade e neste caso especifico entre sexos, a fraternidade e a liberdade também deviam entrar nesta luta já que as feministas de hoje se transformaram em extremistas com muito fel pronto a disparar em todas as direcções para calar opiniões divergentes.


Mulheres frustradas que invocam sempre a inimizade e ataque feroz como sendo do piorio entre elas, mal comparado aos homens que não estão nem aí. 

Desejam secretamente que o seu rol de traumas incluísse uma tentativa de violação não concretizada na adolescência, para poderem falar com conhecimento de causa, editar um livro e lutar muito pelos direitos das que verdadeiramente sofreram às mãos de um qualquer grunho, ou então gostavam de ter uma pila retrátil que saltasse cá para fora para violar mulheres que não lutam afincadamente como elas e perguntar a todo o segundo 'Estás a gostar? Dói não dói? É para sentires o que eu quase sofri.' Experimentam assim a igualdade de estar do outro lado a fazer de gajo estúpido.

Levam tudo a sério, viram feras carrancudas na defesa das virgens ofendidas enquanto deviam aproveitar as vantagens que têm em ser mulheres, como por exemplo ter um filho do Ronaldo e nunca mais trabalhar na vida, não ir à guerra, ser dona-de-casa, dar a desculpa de estar com o período e fazer o que lhe der na bolha... 

 
02
Dez19

Contos da Estrelinha Serigaita - A gorda

Rita Pirolita
Brincadeiras de fim de tarde antes de jantar. 

Desavença que surge entre a mais gorda da escola e uma das mais magras, eu.

A gorda é peluda, feroz, feia e carrancuda, eu sou só feia e magriça, rápida no pontapé e murro, nunca puxei cabelos, coisa de menina e não de maria-rapaz.

Foi a única e última vez que alguém me meteu medo, um murro em plena têmpora, fez-me cair na soleira da porta do meu prédio...que humilhação! 

Não sei como a amorfa figura se antecipou à minha agilidade rapazola. 

Estou feita, já não me consigo levantar a tempo de responder com força. Quando acordo, todos me abandonaram, viraram costas à fraca figura que se deixou abater por uma gorda, sem tempo de virar o resultado no ringue de rua.

A partir desse dia nunca mais me pôs um dedo em cima, a gorda que sofria daquele tipo de gordurice que se ia agarrar aos ossos até ao fim da vida, esperava eu. 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub