Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contos e Descontos

Autora esporádica de contos e descontos escritos a tempo inteiro

Autora esporádica de contos e descontos escritos a tempo inteiro

Contos e Descontos

25
Jul20

Armados ao pingarelho

Rita Pirolita
Tantos académicos fazem uso de uma linguagem anti-vernáculo de boa educação, quero eu dizer que usam nomes caros, pouco conhecidos pelo comum dos mortais que parece e talvez seja propositado, baralham e voltam a dar, sentenças e pensamentos. 
Não querendo eu ficar complicada a tentar descomplicar coisas que nos baralham, gostava no fundo de apenas perceber para quem escrevem estas almas fazendo uso de tão erudito linguajar? 
Querem bradar aos anjos-livreiros para que se desfaçam em lágrimas e os livrem do canto dos indigentes, apelar já aos céus para irem alcatifando o caminho da eternidade, dos prosistas e poetas imortais, de livro de prateleira e não de cabeceira?!  
Quero acreditar que não escrevem para eles e para os amigos, mal seria, mais ainda quando escrevem em jornais que estivessem a escrever numa plataforma pública para um público muito restrito e privado, os amigos mais chegados como se de um ritual maçónico se tratasse, congeminado no secretismo! Em última instância se nem os amigos o perceberem estará o criador textual a falar consigo, num monólogo de afogamento no seu narcisismo, um suicídio literário que se consome e alimenta como sistema entrópico, insuflado de admiração pelo seu fogo-fátuo? 
Ah espera, pode ser uma declaração de independência tão parva que ninguém percebe mas eles, os 'artistas', têm que ter espaço, isolarem-se para criar a obra de arte! 
Uns merdosos solitários que ninguém atura, é o que são!
Tantas vezes chego ao fim de alguns artigos e desisto de reler, porque estou cansada da frustração de nada perceber! 
Farão os autores de propósito só para se armarem ao pingarelho? Serei mais burra do que penso? Só quererão atingir as suas elites? Será uma linguagem secreta, codificada ou vazia apenas para baralhar? 
Fico com a sensação que muita gente não consegue perceber o que lê destes eleitos 'connoisseur' de qualquer coisa, iluminados não sei por que candeia que de vez em quando num gesto benevolente para com os pobres de instrução, que nunca serão burros forçosamente, escrevem uns textos com piada tímida, só para dizerem que não pertencem a um mundo à parte que só eles construíram e idealizaram, que até descem de vez em quando cá baixo para sentir a plebe!
Estes escritores de pedestal no seu discurso de equilíbrio politico-correcto, querem acrescentar uma pitada de radicalismo, fazendo uso de tiradas que parecem revolucionárias mas a cada parágrafo acabam a dizer que gostam de massa mas não se importam de comer arroz ou batata. 
Gente que vai a todas é de desconfiar, quando acabamos de ler coisas deste género a única conclusão a que chegamos é que o autor podia nem se ter dado ao trabalho de iniciar a escrita, que o mundo ficaria na mesma e nós também, sem tirar nem pôr ideias!
E talvez se eu não tivesse escrito esta merda também não se perdia nada?...

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub