Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contos e Descontos

Autora esporádica de contos e descontos escritos a tempo inteiro

Autora esporádica de contos e descontos escritos a tempo inteiro

Contos e Descontos

23
Jul20

Indecisões de uma tarde

Rita Pirolita
Vou-lhes chamar indecisões de uma tarde para conferir um certo romantismo a instantes de verdadeira tormenta que podem durar segundos ou meros minutos de uma tarde da nossa vida que pode não ser tão bem passada como isso.
Tudo fogo-fatuo da futilidade quando se vai experimentar roupa e talvez trazer para casa tudo o que não estávamos à procura e nada do que íamos comprar. 
Pegar em tamanhos que não nos servem por serem pequenos ou grandes demais. 
Indagamos se não nos andam a enganar com os cortes e medidas, antes não era assim, há 20 anos enfiava o pandeiro num 32, com a idade os ossos devem ter alargado ou preciso de óculos ou os espelhos vieram todos da desmantelada Feira Popular de Lisboa mas de certeza que não engordei! Isso é que não!
Na secção dos sapatos só os ténis costumam ser quase todos fofos e macios, salto alto por mais caro que seja, nunca é confortável e neste grupo está incluída a sandaloca aberta de verão, daquela tipo casamenteira em que passado 10 minutos de suor os dedos começam a escorregar e sofrem leve esfoliação do quente alcatrão ou refrescam com a cócega na relva? Nã!
Muitas vezes chego a casa de mãos vazias mas penso sempre quanto dinheiro não gastei ou poupei, nessas tardes de indecisão típica de período pré-menstrual!

 

21
Mai19

Tempo

Rita Pirolita
 
 

 

O tempo não volta para trás por mais que se cante, não estica para os lados, para cima ou para baixo, não é nosso por isso não se dá, não se tira e não se partilha, muito menos se vende ou tem preço.

Sentimos a passagem do tempo nas rugas e nas recordações.

O tempo de cada um termina na morte.

As marcas do tempo não se apagam nem com a maior borracha do mundo.

Não temos noção do tempo mas sim a ilusão de o medir, controlar e aprisionar. 

O tempo passa e não fica, será espiral, continuo ou interrompido pulsado?

Se pára, o que pára com ele? Se tudo pára, ele é o Rei do Universo? Se não pára, o espaço ganha tempo e o tempo passa a ocupar espaço? 

O tempo não se deixa enganar ou roubar.

O tempo não se guarda no bolso para mais tarde recordar.

O tempo parece que pára quando amamos e corroí quando esperamos abandonados.

O tempo impõe respeito e não liga a faltas de respeito de quem fala dele quando não tem mais nada para dizer! 

O tempo não se esgota, nós é que não o aproveitamos.

O tempo não se perde, nós é que não o encontramos.

O tempo não corre, nós é que não temos pernas para o alcançar.

O tempo não foge, é que não temos mãos para o agarrar

Correr contra o tempo é batalha perdida à nascença.

Transporte no tempo...não comboio que aguente.

O tempo não pára nos relógios avariados.

Só estamos certos quando dizemos que não temos (o) tempo...porque até a falta dele inventamos!

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub