Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contos e Descontos

Autora esporádica de contos e descontos escritos a tempo inteiro

Autora esporádica de contos e descontos escritos a tempo inteiro

Contos e Descontos

15
Jul20

Quem tem cu tem medo?...

Rita Pirolita

Impossível passar ao lado das eleições no Brasil, acompanhadas de tumulto social que se tem precipitado em manifestações desgarradas, zangas de amigos e familiares, perseguições e agressões a opositores de um e outro lado, encenações e vitimizações, enfim, a confusão social e intelectual, o vazio de ideias que dizem, a direita aproveitar para ganhar pontos, estando ela própria ligada ao ecumenismo de mandamentos da Bíblia-banha-da-cobra, enquanto isso, deixamos existir e até alimentamos vergonhosamente, regimes tiranos e castrantes de há décadas como o venezuelano e chinês, dá muito jeito ter um produtor com mão de obra escrava e uma jazida de petróleo controlada à custa da pobreza e desgraça dos povos! 
E porque conquista apoiantes a direita? Não estariam escondidos com certeza mas são os mesmos que agora estarão desiludidos com os resultados da esquerda?
Além do desespero geral dos indecisos, mais manipuláveis e sujeitos às flutuações das falaciosas medidas políticas que têm governado o mundo, a esquerda também nunca se soube concentrar, é uma força que apelando à igualdade, prostitui as minorias que com meia dúzia de conceitos sectaristas ligados a fobias e muitos "ismos", acabam por fazer o trabalho sujo de dividir e espalhar a confusão para as tiranias ganharem terreno. Populações inteiras que se enterram pelas próprias mãos, que se julgam e martirizam não percebendo que a defesa em altruismo, deveria ser da raça humana, fauna e flora de que dependemos e não a exacerbada manifestação apalhaçada e às vezes violenta e desafiadora na brejeirice, por grupinhos que apelam a direitos que deveriam ser conquistados em modo universal. 
Ser de esquerda num ambiente liberal é viver do capitalismo com moderado pudor se não à descarada, ser de esquerda num ambiente de terror, é disfarçar muito bem que se é de direita!
Acabo até eu por fazer estas distinções, parece já não haver terminologia menos extremista e esquizofrénica com que possamos comunicar, mal, mas dizer alguma coisa no entanto!
Ora a esquerda na sua senda da uniformização por baixo, proporcionar a desgraça para pôr populações à míngua receptivas a qualquer migalha que possam deificar e até pensar que são conquistas, no fundo retira gradualmente direitos, que com qualquer pequeno ajuste parece uma grande evolução social mas na verdade regredimos um par de passos para depois dar um baby step na infantilização do povo, que se revê na protecção lamechas e dependente de um Estado paternalista, protecção essa que não precisaríamos se tivéssemos crescido e ganho competências para a auto-determinação, integridade e coerência que tenha objectivos nobres em jeito de comunidade, que apenas querendo o bem individual esse será a extensão para o bem-estar vizinho! Mas não, funcionamos por oposição para podermos sobressair, pensando que para sermos os melhores temos que enfraquecer o inimigo que inventámos, magoando com crises e guerras, para que se torne frágil e assim possamos ser o melhor do pior, ao invés de termos coragem e altruismo em combater um competidor forte para beneficiarmos da evolução e engrandecimento pelo pluralismo, de visões que quase sempre são complementares no bem. 
Apesar de me sentir um ET, entendam que só me quero dar com gente que pense normal e naturalmente, não me identifico com ordes excitadas de grupetas que à falta de cabecinha limpa se apoderam de todas as dores das minorias sem saberem da origem da doença! 
Como já não temos paciência para parar e pensar, deixamos que o trabalho esforçado e forçado nos retire tempo e domine por cansaço o curso da nossa vida, entregamo-nos a discussões fúteis sobre futebol, tricas e endeusamento de heróis da mula russa, quem discute muito futebol parece que percebe muito de muita coisa mas fala muito do nada que é o futebol, tudo isto é fado e se aplica também ao racismo, à homofobia, ao feminismo moderno, à xenofobia...
Andamos entretidos com o trivial secundário, um mundo paralelo, para não termos que pôr mão na irmandade corrupta, que tanto trabalho daria limpar, sabendo nós que todos temos um pouco desse sangue e por isso o desculpamos e despenalizamos, como gostariamos que nos fizessem a nós. 
Neste sentido, a divisão entre esquerda e direita mais não é que uma quezília de birras, a mesma moeda com duas faces mas mesmo assim a mesma merda materialista com o valor que lhe atribuirmos.
O fascismo cresce por aproveitamento de um comunismo vazio e disperso na sua falsa hegemonia de criar uma sociedade alienadamente livre de tão uniforme, ao ponto de não se notarem nem reivindicarem diferenças por mérito, presa na normalização.
Até parece que percebo de política, não, percebo mais de massagem e decoração, os dois cursos que tirei mas sinto que não faço um esforço grande para não me deixar alienar, a desgraça é tão evidente que é um atentado à minha inteligência tornar-me mais uma na carneirada de punho cerrado na rua, já basta comer e cagar como todos e chega, por isso me admira que tanta gente se deixe dominar por programas e campanhas politicas tão promissoras de apartheid.
Mediante isto, sinto mesmo que uma dona de casa seria um bom exemplo de governação ou seja a maioria de nós seria boa para governar e porque não deixamos que isso aconteça? Porque quem tem cu tem medo e cada vez mais a população mundial age por terror aos prognósticos em vez de se concentrar em pôr mãos à obra e mudar já o presente, as revoluções são sempre para amanhã e já é tarde demais, todos representam algo e não fazem nada. Concluo então que poucas pessoas como eu têm o cu desligado do medo, o meu é mais pragmático, está ligado à merda, não exclusivamente mas maioritariamente!

07
Abr20

Ignorância, iliteracia e burrice

Rita Pirolita
A todos os que me chamam de snowflake?...Mais vale ser efémera, não somos todos na nossa existência?...Que parecer um efémero monte castanho a fumegar.
Aos que me acusam de generalizar e se insurgem querendo provar que são diferentes e únicos e fazem parte de uma minoria erudita, nada mainstream ou populista?... 
A generalização é isso mesmo, não considerar casos particulares, porque me perderia em enumerações infindáveis!
Aos que me dizem, 'deves achar que és mais esperta que os outros?...
As pessoas inseguras quando acusam o toque ou lêem algo que faz sentido (não sou dona da razão, apenas expresso opiniões que quase seguramente consigo defender) mas não querem admitir, são agressivas, não querem discutir ideias nem aprender ou partilhar.
O mais flagrante e recente episódio adveio da opinião que expressei quanto à série GoT que tantos seguidores arrasta, não me mostrando simpatizante deste género fantástico descrevi a série como um conto infantil com dragões e anões, repleto de cenas ao bom estilo PornHub, recomendável para adultos, ou seja, um estilo confuso e talvez propositadamente baralhado, que apela ao mais básico do entretenimento, o que não lhe retira de todo o direito a ser exibido, sendo apenas consumido por quem gosta.
Ninguém é obrigado a ver mas para saber se gostamos ou não convém ver pelo menos 1 ou 2 episódios, foi o que fiz quando a série foi exibida pela primeira vez em 2 mil e troca o passo.
Dentro do grupo dos que gostam uns conseguem separar o real do fantástico imaginário mas outros, alienados e viciados com semelhanças assustadoramente próximas de atitudes terroristas vingativas, apenas conseguem vomitar em atropelo gramatical ameaça e injúria a quem não partilha o mesmo gosto.
Aos que acham que ser muito radical e não fazer parte da carneirada, consiste em coisas tão simples como não ver ou nem saber que série é esta, que se deixa tratar pelas iniciais de GoT, não sei quem vos anda a enganar mas para mim é muito mais que isso, passa por ter firmeza, lucidez e flexibilidade nas ideias que se expressa e defendê-las com a consciência da responsabilidade e alcance daquilo que se escreve.
Muito mais que o desejável, existem casos de flagrante iliteracia, diferente da ignorância, em que não se sabe e até se vive feliz.
Iliteracia não é só não saber ler nem escrever, é também não saber interpretar e quando não  se compreende, responde-se com bugalhos a quem diz alhos! 
Existem ainda os tristes casos daqueles que além de não perceberem fazem finca pé de não quererem perceber, burros e teimosos que apenas querem consumir tempo precioso a gente de bem. Porcos a quem não convém dar pérolas!
A toda a carneirada vampiresca...vão chatear a carneirada remelosa a que pertencem e parem de desdenhar e cobiçar o que não têm ainda capacidade para compreender. 
Chegará o dia, nunca sem muita vontade inerente de terem o arcaboiço para acolher alguma clarividência...ou não!...
Nenhum totó se vai rever aqui, na sua própria descrição, no fundo estive a escrever para uns poucos...vale sempre a pena!
 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub