Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contos e Descontos

Autora esporádica de contos e descontos escritos a tempo inteiro

Autora esporádica de contos e descontos escritos a tempo inteiro

Contos e Descontos

04
Ago20

Ai a Primavera...

Rita Pirolita
Ai a Primavera, fom, fom, fom...

Ai que depois segue-se a canícula do Verão mas ainda está tanto frio para as abelhinhas andarem a picar de parvo em parva!  

Ai as minhas alergias e lá tenho que ir a correr à farmácia comprar os anti-istaminicos genéricos que uma pessoa não ganha para estar doente e falar à fanhoso.

Ai que está tanto frio e os meus ossos já não aguentam! 

Ai que chove tanto e esta humidade dá-me cabo do cabelo mas faz tão bem às unhas e à pele e por efeito colateral acaba com esta seca!  

Infelizmente os caprichos de todos contribuem para algum desequilíbrio climático e quando a inteligência e vontade de aproveitar os recursos naturais falham só nos resta rezar por chuva mas sem inundações, por sol e calor mas que também não queime tudo, por brisas refrescantes mas que não arranquem telhados!

Ainda bem que o tempo é naturalmente imprevisível e não maluco-bipolar-esquizofrénico como as pessoas! 

Paravam logo de se queixar de barriga cheia se fossem metidos num cargueiro, despejados aqui no Canadá e à chegada fossem enrabados por um "enxame de ursos" como saudação de boas vindas, neste sítio desolado onde os Invernos são de 7 meses com médias de 20 graus negativos, os Verões mais parecem Primaveras cheias de mosquitos com lagos onde nem se pode dar um mergulho, mar nem vê-lo e ainda pagarem e bem por tudo isto como eu paguei quando emigrei para aqui mas sem levar no pacote porque já estava farta de ser enrabada por políticos manhosos em Portugal! 

Deus dá nozes a palermas desdentados ou a quem dá vontade de lhe partir os dentes todinhos de uma só virada!
14
Jul20

Juro

Rita Pirolita
Juro que a próxima vez que uma pessoa que aparente ser mais ou menos equilibrada, disser que o Canadá deve ser um grande país, organizado, civilizado, rico, com um bom nível de vida, blá, blá, blá...sem nunca lá ter vivido pelo menos um ano, prego-lhe com uma cachaporra na cabeça e todos os estúpidos que se vão armar em ricos para os países de origem, numa de amesquinhar os que lá ficaram a aguentar o barco, que apodreçam com os invernos de urso polar!

Quando alguém pensa em emigrar só dá conta do transtorno que dá começar vida nova, num sítio diferente, quando já está com as patas na lama! 

Todas as coisas estão interligadas e basta desbloquear a primeira que logo tudo começa a deslaçar mas não é fácil!

Para procurares trabalho precisas de comprar um carro, para conduzir precisas de tirar a carta novamente, precisas de alugar casa, ter acesso a um telemóvel e já agora internet para responder a anúncios de emprego, não vais andar a entregar curriculos de porta em porta com 20 graus negativos, precisas de um cartão de residência, isto tudo depois de já teres feito e pago um teste a provar que falas um inglês que se perceba, como se estão a borrifar para a credibilidade da formação que trazes do país de origem, fazem-te frequentar escola profissional ou universidade na tua área, no mínimo 2 anos, precisas de uma morada fixa e uma despesa de água ou luz para poderes pedir documentos de identificação, tais como segurança social e cartão de saúde, precisas que alguém se responsabilize, dando prova que possui pelo menos 10 mil CAD numa conta bancária, para cobrir eventuais gastos que possas ter, pelo menos nos primeiros tempos e voltando à boca da serpente, já viram se uma pessoa não consegue tirar a carta de condução? Fica em casa a apodrecer com a vida toda embrulhada! 

O país tem petróleo não se justificam portanto as dívidas que saltam de governo em governo, o último do Trudeau está a tapar o buraco de milhões deixado pelo anterior, também mas não só, com a legalização da canábis, um mercado que lhes faltava controlar, a saúde é tendencialmente gratuita como o sistema português, não existindo privado mas os hospitais já começam a dar sinais de rebentar pelas costuras, o que não se percebe, sendo o segundo país maior do mundo, só tem cerca de 36 milhões de almas penadas e como já disse tem petróleo, além de agricultura e gado, o imposto sobre o trabalho chega aos 40%, tal como um recibo verde em Portugal e na maioria dos trabalhos é feito o desconto à cabeça, para gastos não cobertos pelo sistema geral de saúde, tais como dentista e oftalmologia.

Os canadianos não são limpos têm é muito emigrante para lhes limpar a merda, vezes demais se vê gente a atirar lixo pela janela do carro para a berma da estrada, dizem que assim criam mais postos de trabalho e mantêm ocupados os que cumprem penas suspensas com trabalho comunitário!

Não são profissionais, percebem superficialmente do ofício não o suficiente, não são desenrascados, são automáticos e programados, não são honestos e são incapazes de dizer que "não", preferem nunca mais aparecer a mostrar posição sobre algo. 

Sendo o Canadá um país construido e habitado por emigrantes, são eles próprios, os antigos, os mais racistas relativamente a emigrantes recentes, já para não falar da humilhação e destruição constante a que votam os índios, oferecendo subsídios de coitadinhismo que só levam a uma vida de álcool e drogas, associado ao facto de não os deixarem aceder a postos de trabalho decentes por imposta incapacidade, sendo que gerações já estão condenadas à deficiência física, doença mental e consequente dependência do governo, num ciclo vicioso que muito poucos conseguem quebrar.

Existem muitos sem abrigo, serão sempre demais, num país que se diz civilizado, se por um qualquer azar se fica sem trabalho ou casa é muito dificil conseguir crédito novamente, morrem na rua ou em casas de abrigo! 

Parecem mais cultos e educados que os americanos, desconfiem, é só uma camada de verniz e quando cai, mostra o labrego que há em todos os povos.

Para poupar, já foi tempo, nesta terra onde não há muito para gozar, se tirares mais que duas semanas de férias por ano já és alvo de inveja e olhares de soslaio! 

Os que se põem mais a jeito são aqueles que vêm de países extremamente pobres e têm uma carrada de filhos e família para sustentar e ainda enviam dinheiro para os velhos e sobrinhos que ficaram a amargar a pobreza lá na terrinha, esses é que alinham a trabalhar que nem cães! Os mais vulneráveis são os mais explorados! 

Come-se mal e paga-se muito, entre obesos e gente que paga balúrdios por ginásios ninguém parece saudável, andam mal vestidos, são mal encarados e mal acabados, desperdiçam muita comida e pouca paciência têm para a reciclagem ou reaproveitamento. 

Os psicóticos, os sem noção, ganzados ou bêbedos e sei lá mais o quê, são mais que muitos, não existem muitas pessoas normais que não vivam com inveja dos bens materiais do vizinho, que não tentem ter a maior mansão do bairro e o carro que mais barulho faz e mais gasolina gasta.

É por isto tudo que acho sermos naturalmente iguais mas podiamos ser mais normais e se algum dia achei que todos deviamos ter a oportunidade e liberdade de procurar uma vida melhor, hoje estou mais convicta que cada um deve procurar a sua forma de felicidade. 

Sempre soube que a riqueza material não traz felicidade gratuita, se já nasci de graça para ser feliz para quê pagar tão caro pela vida que não quero? 

Era só isto!

19
Fev20

Starbucks, McDonalds, ervanárias, talhos e hospitais

Rita Pirolita
Se eu que vivo no Canadá entrar num Starbucks em Portugal e disser às pessoas que lá estão enterradas nos sofás, agarradas ao seu Samsung última geração ou laptop da maçã que nas Américas do Norte este estabelecimento tem o café mais barato e não dá status frequentá-lo, só os sem-abrigo que já perderam o brio, amor-próprio e pouca riqueza que tinham, deambulam por lá à espera de alguma coisa quente, uma aguinha tingida?...Sou insultada de certeza! 
Leva-me a concluir que os portugueses são uns cagões ignorantes, que só por pagarem muito por um café que sabe a surrapa e bichos rastejantes chamuscados, sobem na hierarquia da socialite, mostram que estão na moda mesmo que na verdade o que saiba pela vida seja o expresso, bica ou cimbalino, mais barato lá na tasca do bairro, em chávenas ratadas mas escaldadas ou só quentinhas, como tanto se deseja, a ressacar logo pela manhã.
Já nem precisamos de dizer curto, longo ou normal, forte, fraco ou pingado, por inteiro, sem princípio ou sem fim, italiana ou metade de uma italiana (uma amiga minha costumava pedir esta bomba, resumida numas poucas gotas no fundo da chávena)...porque o Sr. António lá do sítio, além de tirar um café no ponto com amor, já nos conhece de ginjeira e assim que nos vê entrar agarra-se logo ao manipulo!
Quase nos viu nascer, viu os nossos queridos avós partirem e a dedicação e sofrimento da nossa mãe a tratar deles até ao último dia, além de que o Sr. António que também pode ser Zé ou Joaquim, serve Delta ou Sical, lote Platina, produto com tratamento nacional com certeza!
Os canadianos que podem e os que não podem, esfolam-se por poder, preferem ir ao Tim Hortons, porque pagam mais caro pela mesma merda que servem no Starbucks, não piam e ainda trazem donuts de graça, pensam eles, como se não os tivessem já pago na factura inflacionada. 
Mais pobre que isto?...Caganice na mesma mas com mais frio que nós!
Como os cagões são uns empertigados, se eu entrasse no Starbucks nestes preparos, chamavam logo dois ou três seguranças, porque não podem sujar as mãos nem perder a compostura e até lá defendiam o direito à liberdade de escolha, com sermões a tratar-me por você, para se disfarçarem de tios e tias de Cacilhas via Paio-Pires, Cavadas ou Arrentela, de extremada educação que nunca tiveram nem veio de berço!
Se eu entrar num McDonalds e começar a distribuir folhetos a retratar a forma como aquela comida é processada, a destruição e poluição que provoca a sua produção, o gasto astronómico dos recursos de água potável e por fim o alto nível calórico e o alto teor de viciação que os açúcares de má qualidade têm, incluindo as bebidas que estão na mesma linha para fazer pamdam com a comida...aí o cenário já vira cirqueiro!
Os frequentadores destes locais são jovens cabeçudos de chapéu à rapper, enfiado até às narinas e calças ao fundo do cu, conduzem um Clio todo artilhado ou um Seat preto mate, mais viciados em fumar pombos que no açucar mas alegam não ter dinheiro para comer melhor ou gajos de fato armados em ocupados que parece que trabalham na bolsa e apenas têm 10 minutos para comer mas a verdade é que vendem aspiradores porta-a-porta, além de que a desculpa que dá mais pontos, é que a dieta mediterrânea sai muito cara e é difícil na prática!...
Esta última sentença não virá da boca dos McDonaltistas mas já ouvi gente que parecia culta, afirmar isto. 
Minha gente, a dieta mediterrânea só sai cara se os nossos políticos continuarem a reduzir o nosso espaço marítimo e deixarem os espanhóis pescar a nossa sardinha para depois a venderem mais cara novamente a Portugal, se continuarmos a deixar os nuestros hermanos, invadir o Alqueva com oliveiras plantadas umas em cima das outras para rentabilizar o espaço e a água, acho muito bem e depois? Produção mais barata, para vender o azeite mais caro no estrangeiro, à custa da exploração desenfreada dos nossos recursos naturais? 
Se continuarmos a delapidar a produção nacional de cereais, frutas e legumes e depois importarmos tudo ou vendermos apenas para o estrangeiro o pouco que temos de melhor qualidade e andarmos a comer porcaria cheia de químicos, resultado da massificação de enormes produções estrangeiras...não vamos longe!
Além de que, embora pareça pobretanas e medida de último recurso, do tipo só por cima do vosso cadáver, podem sempre levar na marmita e virar vegetarianos, não vos faz mal nenhum, pelo contrário e não venham com a conversa de que não passam sem um bom bife, porque isso de carne, já pouco ou nada tem! 
Ora bem, do McDonalds já me arrisco a que não chamem a polícia mas que façam justiça pelas próprias mãos com os pés, chuto no cu e lá vou eu parar ao olho da rua, rumo ao próximo local de sensibilização... 
Imaginem eu entrar num talho a protestar contra a exposição de cadáveres e cheiro a sangue e que o consumo de carne devia ser reduzido, o de enchidos então nem se fala, os portugueses comem chouriços e presunto como os chineses comem arroz e se decidirem incluir a carne na dieta, pelo menos exijam maior qualidade e controlo e menos violência e descuido na sua produção...Como se isso fosse possível mas isto é para calar os que deviam visitar um matadouro, para pensarem duas vezes antes de meterem um naco de animal à boca! 
É melhor não o fazer, já sei, arrisco-me a sair dali debaixo de fogo de facas voadoras e gente carnívora que se me deitam a mão, chupam-me o sangue todinho em 3 segundos. 
Aviso já que o meu sangue é azul da parte do pai por ser do FCP e verde da parte da mãe por ser vegetariana, por isso terão a sensação de estar a chupar clorofila, como vampiros não vão gostar e vai-vos dar cabo do sistema nervoso e imunitário!
Ultimamente o que tem dado polémica é a lista de alimentos que não podem fazer parte do menu dos hospitais e estabelecimentos similares e da obrigatoriedade, que não está a ser cumprida, de incluir refeições vegetarianas nas escolas.
Embora duvide de todo do altruísmo e preocupação do Estado com a nossa saúde, acredito que nesta área e mais ainda na educação, o melhor exemplo de conduta deve ser dado, se não onde? 
Todos continuam a ser livres de comer o que quiserem e de certeza que não passarão a ter vontade de comprar tabaco na ervanária ou carne na peixaria. 
Quando a maioria já não tem arcaboiço para entender e sentir a liberdade dentro de si, repudiam-se quase todas as sugestões como atentados à livre escolha, julga-se tudo como uma proibição e assim se subvertem as prioridades de uma nação.
Se gostam mais da previsível segurança do admoestador condicionamento, como podem lutar com verdade e convicção pelo que desconhecem e talvez por receio não desejem assim tanto?!
31
Mai19

Os artistas, esses malucos

Rita Pirolita
 

Até hoje, o discurso que mais ouço vindo da boca dos artistas, mais especificamente os actores de teatro, é que precisam imenso do apoio do estado para sobreviver, isso é o que as pessoas normais fazem, trabalham e recebem em troca o 'apoio' para que trabalharam, o ordenado. 

Por oposição, nunca os ouvi dizer que se tivessem falta de trabalho e precisassem de comer, iam para trás de uma caixa de supermercado ou limpar escadas. 
Uns tiraram cursos no Conservatório, outros no Chapitô, outros andaram a passear por Londres e Estados Unidos e até serviram às mesas para pagar o estupefaciente, lá fora ninguém os conhece, não parece mal.
Acham mesmo assim, que são mais que os outros e queimaram mais pestanas que um engenheiro ou um médico? 
Os médicos têm sempre trabalho na área, porque são necessários e nem toda a gente consegue ver sangue sem desmaiar, por isso nunca precisam de ir limpar retretes, a não ser que sejam da India e emigrem para o Canadá para acabar a conduzir um táxi ou a fazer limpezas, o que já não é mau do ponto de vista do país que os acolhe, que fica de peito cheio por dar trabalho a desgraçados que fazem o que os canadianos não querem fazer, sem reconhecerem e aproveitarem a sua formação de origem. 
Os que se auto-denominam canadianos, são um bando de emigrantes que sempre desrespeitaram os verdadeiros autóctones, os índios. Mas isso é outro circo.

Quase todas as outras pessoas que tiraram cursos ditos normais, se sujeitam basicamente a fazer o que aparece para sobreviverem, debaixo de pressão social e deprimidos de tanta frustração. 
De fora ficam os jogadores da bola, políticos, banqueiros, Igreja e milionários, calam-se que nem ratos por trás da riqueza e não ligam a criticas e julgamentos porque fazem orelhas moucas às vozes da pobreza, da qual se alimentam e lhes enche os bolsos.

Muitos ainda, têm o descaramento de dizer que até nem queriam ser artistas, nem nunca sonharam com tal carreira mas que alguém insistiu tanto que eles lá aceitaram por favor e empurrados até acabaram por gostar. 
Ora, estas declarações são verdadeiros insultos para quem tem talento e anda uma vida inteira a sonhar e a fazer de tudo à espera que lhe saia a sorte grande de ser escolhido. 

Tal como não podemos ser todos médicos também nem todos podem ser artistas mas a maioria são-no por um acaso feliz, pertencem à família certa.
Os artistas gostam muito da ribalta, das purpurinas e da triste nostalgia de uma casa repleta de quinquilharia que coleccionaram ao longo dos golden years, onde depois dão entrevistas que cheiram a mofo, acompanhadas do queixume da baixa ou inexistente reforma, do abandono, do esquecimento...
Eu também gostava de trabalhar pouco, ganhar muito e reformar-me cedo!
Meus amores, só uma ínfima parte da população é conhecida mundialmente ou mais modestamente nos seus países de origem e para serem reconhecidos e lembrados com agrado, têm que saber abandonar o palco na hora certa e evitar fazer figuras tristes como fez a Amália, ao cantar até morrer quando devia ter parado quando deixou de soar agradavelmente aos nossos ouvidos e quando já mostrava um esforço penoso em fazê-lo. 
Quanto ao parco rendimento?...Quem não come por ter comido, não é morte de perigo e sempre podem ter a sorte de ir passando os dias na Casa do Artista ou sair-vos a sorte grande e comer, dormir e cagar por lá até morrer.

Voltando ao coitadinhismo dos subsídios pedidos em nome da cultura para alguns encherem o papo, não são os artistas que se querem sempre distinguir pela sua imaginação, criatividade, capacidade de adaptação, trabalhar de alma e coração?...
Porque é que tudo depende tanto de dinheiro? Já para não falar que são sempre os mesmos que recebem os apoios e fazem as novelas e não me venham com tretas que são os únicos que são bons, até podem ser mas também pertencem a grupos onde se movimentam muito à vontade, um deles são as bichas ou gays como vos aprouver chamar-lhes, contra os quais nada tenho a não ser vantagens porque sou mulher e posso levar no sítio que eles levam e mais um, e chupar no que eles chupam, mas isso também não é para este circo. 
Ora, as bichas lá se 'cobrem' umas às outras mas quando se zangam também ficam doidas como as mulheres, que são umas belíssimas cabras entre elas a toda a hora e ainda pior quando se zangam ou roubam maridos e namorados às amigas do lado, é vê-las deitar fel da língua e fumo das orelhas. 

Então o verdadeiro artista não é um entertainer pro bono do povo, um pobre  sonhador, um boémio como o Bocage...este romantismo já não vos atrai nos tempos modernos??? Querem todos ser comunistas-capitalistas a fazer a milésima reposição do Rei Lear e matar o Rui de Carvalho de cansaço em pleno palco? Andar a fazer merda sem o mínimo de qualidade, como um cocó de cão numa galeria de arte ou num qualquer museu, que roubou milhões aos bolsos dos contribuintes para ser construído?  
 
Meus amigos sou pintora, já fiz exposições por convite, vendi alguns quadros, tive algumas encomendas, sempre me imaginei a viver da arte e pelo menos em condições normais, sempre poderei criar até ao fim da vida, mas se não sair de casa, ninguém me põe comida na mesa, nem me compra roupa nem que seja na Primark. 
Ninguém me vai impedir de sonhar mas serei eu artista ou farei alguma coisa de jeito? Pelos elogios parece que sim, vi gente ao meu lado fazer menos pela arte e ter mais louros e fama, se mereciam??? Pelo menos estiveram no sítio certo, com hora e encontro marcado com as pessoas certas. 

Os famosos são conhecidos por serem bons no que fazem?...
Todos dizem que a arte é subjectiva e que só vêem os reality shows quando fazem zapping. 

Se não vivo da arte, não lutei o suficiente para que isso acontecesse? Se calhar não quero que isto seja um trabalho e sim um prazer, distração e divagação e talvez por aceitar isso não me sinta frustrada. 
Devemos lutar por fazer o que nos dá prazer mas nem sempre nem nunca isso acontece e menos vezes ainda, corresponde a sustento que se veja.
 
De qualquer maneira, quando ouço os artistas cagões a fazer o peditório choradinho em nome da cultura e não é a cultura das alcagoitas, imagino logo que são pessoas de famílias remediadas ou até abastadas, porque nunca tiveram que mexer o rabo para ganhar para comer e digo-vos uma coisa, de barriga vazia ninguém cria ou aprecia a criação mas sonha muito, nem que seja com um lombo de porco no forno, acompanhado do respectivo cheiro. 

Eu, sortuda que nunca passei fome, quando vos ouço a repetir a K7, fico logo com a cabeça na Lua e o pensamento voa para bem longe da vossa mesquinhez terrena. 

Eu é que sou a verdadeira artista, sonhadora sem precisar de subsídio!!!  
02
Mai19

Samouco

Rita Pirolita
Com o pretexto de almoçarada na zona ribeirinha, ali para os lados do Samouco, restou a inclinação para fazer asneira da grossa, dificuldade em dar com os sítios, em acertar com um local de jeito, nem que fosse para tomar um café e dificuldade novamente em sair dos mesmos sítios, que depois de revistos me deixaram...

Um amargo de boca, um cheiro distinto por zonas, a porco, vaca, cavalo e lixo que não se podia, poluição que baste de Famel Zundapp, cartazes de tourada a cair de tanta cola sobreposta, desgraça, abandono e desleixo, prédios inacabados da crise, gente velha a atravessar estradas a passo de caracol, lojas fechadas, casas caídas, desordem continuada na construção, entremeada por bairros sociais, os mais organizados e habitados, ruas cortadas, armazéns abandonados, uma praça de touros digna da mais perigosa fronteira mexicana, um terminal de barcos onde nem Judas perderia as botas!

Estes locais quase de uma só rua, calmos e saloios, depressa se transformaram num fim de mundo poeirento, sem gosto, apagado e sem carisma.

Enfim, naquela manhã nada profícua e muito assaloiada, vi coisas que cheguem para mais um ano de vistas lavadas noutros sítios.

Fiquei triste por esta gente abandonada e definhenta por arrabaldes e baldios.

Cheguei à conclusão que há dias que mais vale não sair de casa e não há melhor lugar para almoçar que no conforto do nosso doce lar!... 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub