Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contos e Descontos

Autora esporádica de contos e descontos escritos a tempo inteiro

Autora esporádica de contos e descontos escritos a tempo inteiro

Contos e Descontos

25
Jul20

Fungagá da bicharada!

Rita Pirolita
 
E pronto os animaizinhos de estimação lá vão puder ir a restaurantes designados para o devido efeito, com os seus donos extremosos e pimpões! Ou nem tanto assim?...
Não acredito que existam restaurantes a aderir, correndo o risco, se isto está tão mau como dizem, de ainda perderem mais clientela. 
Até os próprios visados, sem pôr em causa a estima que têm pelos seus companheiros de estimação, dizem que em casa é um conto e no restaurante o transtorno pode ser enorme, não só relativo a pessoas, bem como à interacção animal. 
Se levar o papagaio, o gato da mesa ao lado vai achar graça? Muita de certeza. 
Se levar a cadela com cio, o cão da mesa ao lado vai achar tanta graça que lhe salta para a espinha à frente de todos e arfa durante meia hora, debaixo de olhares repreensivos pela falta de controlo sobre os instintos patudos? 
Uma piton atira-se ao piriquito, ao hamster ou ao coelho anão? Com muita gana de certeza! 
Não estaremos a obrigar os animais a satisfazer e a andar a reboque dos nossos caprichos egoístas e prazeres que queremos sejam deles também, reflectir as nossas frustrações e desejos em seres vivos que também têm personalidade e sentimentos mas vêem o mundo de uma forma tão diferente da nossa? Isto não será também falta de respeito? Se não nos podemos pôr no lugar deles pelo menos que não lhes retiremos liberdade de serem o que são, animais de estimação, companhia e carinho! 
Não os deveriamos humanizar, isso é ultrajar a sua condição animal! 
É que um cão por exemplo, não tem noção do prazer que dá ir a um restaurante, sitio de e criado para humanos, talvez seja mais feliz a correr num parque ou na praia, a cheirar o cu aos outros cães!?
Já existe um restaurante em Portugal, que eu tenha conhecimento, se calhar existem mais e ainda bem, onde pode deixar o seu animal de estimação em segurança num espaço exterior.
Não seria um exemplo a seguir? Não sendo a solução a usar por hábito mas esporadicamente por necessidade, só mesmo em caso de não ter ninguém com quem deixar os animais?
Não era melhor preocuparem-se mais com a higiene na preparação das refeições e não introduzir mais factores que tronam mais difícil a manutenção da mesma? 
Misturar comida com animais que não distinguem locais para fazer as necessidades, coçar-se ou largar pêlo e penas, difíceis por isso de controlar, dando aso a alergias, manifestações de fobias e incómodos de torcer nariz, assemelha-se mais a um Fungagá da Bicharada!
Ah afinal tem que ir tudo à trela ou só são permitidos animais de trela? Estarão incluídos furões, crocodilos, porcos vietnamitas, cabras anãs?...
Se os donos não são todos civilizados, como teremos a garantia de os animais serem educados como deve ser? 
Além de que, pelo pouco que sei, as reacções imprevistas de personalidade e comportamento verificam-se em todos os seres vivos!?... 
Não era melhor preocuparem-se com os casos de roubo, corrupção, mentira e desgoverno que grassa no país? 
Com o caso das adopções ilegais da IURD? 
Com os casos de pedofilia na Igreja e fora dela?
Com os direitos e defesa dos idosos e criminalização dos maus tratos e abandono?
Com os direitos dos animais?
Acabarem com as touradas e tortura generalizada de animais na indústria alimentar?
Com o tráfico humano, a violência, a guerra, a fome, as alterações climáticas, a falta de água, a destruição das florestas, a poluição?...Somos uns selvagens que nem de nós sabemos cuidar, quanto mais ter ou legislar animais de estimação.
Como querem que algum Deus que existisse nos levasse em conta e tivesse respeito por nós?! Mas que a Arca de Noé foi a primeira ideia de startup de um restaurante que aceita animais, aí isso foi!  

03
Mai19

Testemunhas de Jeová

Rita Pirolita
Já fui interpelada na rua por pares de velhotas com a revista 'Despertai!' na mão.
Eu nunca entregaria uma revista com este nome logo pela manhã ou à tarde na altura da sesta, com medo de agressões!
Já fui abordada por miúdos novos que também andam aos pares, falam numa língua de outra dimensão, em nome da Igreja Adventista do Sétimo Dia. 
Nunca convidam para tomar uma jola na esplanada da tasca, que por mim não tem que ser forçosamente no sétimo dia, aliás para esse tipo de coisas não há dia nem hora marcada.
Estes mancebos são todos loiros, de olhos azuis e da mesma altura! Serão todos filhos da mesma mãe? 
Se forem, não devem ter possibilidades económicas para renovar o guarda-roupa e os fatos passam de geração em geração!
As velhotas lá por andarem aos pares não pertencem ao mesmo grupo dos mancebos mas que andam todos a falar do mesmo, disso não tenho dúvidas!
Por serem tantas só me leva a crer que a partir do desaparecimento do Jeová, que já foi há muito tempo, foram todas compradas, não estiveram lá, não viram nada, têm que inventar tudo e a K7 nunca falha!
Nunca abro a porta às Testemunhas mas certo dia descuidei-me e abri a porta de casa atarantada, num acto desesperado de fazer tudo ao mesmo tempo, agarrar e acalmar a cadela que não parava de ladrar com o som da campainha e assim evitar que fugisse porta fora. O meu pet estava apenas a cumprir a sua missão e muito bem!
Deparei com um casal, também em missão mas não sabiam ladrar, faziam-se acompanhar de uma miúda para aí de 10 anos, possivelmente já em formação para futura espalhadora da palavra ou como estratégia de marketing. 
Isto não é exploração de trabalho infantil? 
Nesta igreja deve ser tudo abençoado em nome do tal. 
Com muito esforço, este casal de ar simpático e submisso, tentou falar da sua missão porta a porta...a espalhar não sei o quê...e que vinha aí o dia do Julgamento...
Não dei muita atenção porque não tinha problemas com a justiça, nem tinha deixado nenhuma multa por pagar. 
Amigos do Jeová, esse dia vai demorar colhões de anos a acontecer, com o enorme rol de testemunhas que têm para ouvir até ao dia do Apocalipse! 
Descansem, não são os únicos, os tribunais em Portugal sofrem do mesmo problema!
Aceitei a revista e fechei a porta, depois virei-me para a peluda e tive uma conversa em canês muito séria, 'tinha passado o tempo todo a ladrar e não deixou ouvir o que aquele simpático casal tinha para dizer.' Será que o raio da bicha viu o Diabo??? 
Acredito que os cães vêm coisas que nós não vemos, nem que estejam mesmo à frente dos nossos olhos e sejam do tamanho de um palácio…nós somos os burros a olhar.
A revista usei para forrar o caixote do lixo!
Também podiam oferecer mais serviços, tal como entrega expresso de marmitas ao domicilio com opções vegetarianas...
Realmente Portugal é um bom exemplo de respeito pela religião, costumes e culturas diferentes.
Os chineses não pagam casa porque comem e dormem nas lojas e para poupar mais ainda não se deixam morrer, pelo menos em território português.
Nunca ninguém no meio da rua se atirou à testa de uma monhé  para raspar a pinta e ver se tinha prémio?!
Por acaso adoro comida Indiana, é muito condimentada e tem imensas opções vegetarianas, o que me levou a crer que a maioria dos indianos não comiam carne. 
Certo dia essa crença foi posta em causa, precisamente quando fui almoçar com um amigo indiano que já vivia há muitos anos em Portugal. 
Contou-me que já tinha sido dono de um restaurante no Porto, o que não deixava dúvidas pela sua compleição física dilatada. Nesse restaurante além de outras coisas também servia carne e quando a família vinha da Índia visitá-lo tinha que os fazer acreditar que carne por aqueles lados, nem vê-la nem cheirá-la
Saímos do restaurante até as cuecas cheiravam a caril, o meu amigo apenas tinha no papo uma sopinha, não sei se foi para me impressionar...mas não se devem julgar as pessoas apenas pelo aspecto!
Buda também era vegetariano e olha o corpinho que deitava, se calhar comia da gaveta como os algarvios!
 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub