Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contos e Descontos

Autora esporádica de contos e descontos escritos a tempo inteiro

Autora esporádica de contos e descontos escritos a tempo inteiro

Contos e Descontos

05
Dez19

Tudo e nada

Rita Pirolita
Não me sinto daqui nem dali, nada me traz tais recordações, a ponto de me agarrar ou fazer reconhecer um sítio como meu de entranhas. 
Esta leveza faltosa de séria coisa, afasta a depressão, deixa-me numa dormência de sentir, por aquilo que não merece mais que isso, a indiferente profundidade do passado, que pouco deixa, magoa mais que ensina, atira-me para o futuro expectante de mais e melhor.
Irei desta terra sem ilusões, apenas a satisfação da árida e acutilante lucidez endoidada do pragmatismo simples. 
Que me enganem os alienados, desenganem-se antes os iludidos e resguardem a clarividência de quem não quer ver por querer.
Se me quero assim, a pertencer a tudo e nada, não vou entre vós de maioria.
Sem conquistar seguidores preservo a minha solidão, não desgasto palavras nem desperdiço ideias.   
16
Out19

Nem cornos, nem asas

Rita Pirolita
 
As crenças dos que me rodeiam e o crédito nos que me rodeiam são como os  Unicórnios brancos e as Barbies voluptuosas, existem mas até há bem pouco tempo nunca pensei que pudessem ser bonecas rechonchudas, os cavalos brancos também existem mas nunca tiveram cornos nem asas.
 
Todos existem como pesadelo ou ilusão.     
 
Pagam para sair da solidão e assistir a seminários de tocar pessoas, comunicar em silêncio, habituar o corpo ao jejum. 
Quão coerente parece isto quando em vez de estarem a evoluir estão apenas a fugir da solidão para não perderem o sentimento de pertença e até de existência, mesmo que estejam zangados com os mais próximos e se escudem na desculpa de resolver os problemas não falando neles nem com as pessoas que fazem parte deles. 
 
Comerem produtos biológicos, quando a poluição está por todo o lado e a pureza é por isso duvidosa ou mesmo inexistente. Tomarem pouco banho para não gastar nem água nem pele. Reciclarem ao ponto de enterrar tudo no jardim, como prova da sua orgulhosa pegada ecológica. 
Não preciso de jardim para saber que vivo em cima de camadas de lixo e cadáveres. 
Não ando a abraçar ou tocar desconhecidos mesmo que não tenha amigos, pagar para o fazer legitima a aprendizagem? Isto aprende-se? Se se aprende tem que haver alguém que ensine? Quem ensinou os que ensinam???
Nao há resposta para isto, porque isto não se ensina!!!
 
Devemos ser curiosos e na procura ou simples observação retirar o conhecimento suficiente para separar o melhor do erro e partilhar gratuitamente com outros essa informação.
Gostava de me rodear mais de quem não segue seitas, pessoas, gurus e promessas de sabedoria e menos de alienados, iludidos e enganados.  

O mundo existiria tão bem sem nós e talvez deixe de existir mais cedo por nossa causa.
 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub