Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contos e Descontos

Autora esporádica de contos e descontos escritos a tempo inteiro

Autora esporádica de contos e descontos escritos a tempo inteiro

Contos e Descontos

25
Jul20

Policias dos outros e de nós

Rita Pirolita
Preparados para a mentira em banho maria, mais que desacreditar, somos polícias munidos de insultos com pouca opinião e muita raiva, pequeninos jornalistas de parangonas a viver de likes. 
Alguns dizem que Zuckerberg controlará o mundo a partir de Silicone Valley, como qualquer mortal que tem poder da noite para o dia quererá ser imperador do mundo, ter a informação de crédito de muitos, da orientação politica, dos desejos  e vícios. 
Sentir importância no Twitter ou Instagram, termos a ilusão de mudar o mundo, de sermos notados mas estamos todos controlados por publicidade mudada ao minuto, ao sabor  do nosso humor, para nos condicionar e iludir na liberdade de pensamento.
Que nos interessa saber se quem está do outro lado é real ou falso, se queremos todos os dias alhear-nos da realidade da nossa vida com enganos de construir carreira, educar bem os filhos, fazer melhor aos amigos, sermos bondosos e altruístas...todos queremos ser grandes imperadores do nosso pequeno mundo e sair logo de manhã a dominar ou pelo menos a não nos deixarmos engolir por outros miseráveis imperadores! 
Se o ilusionismo sempre foi admirado e passa-se à frente dos nossos olhos, se todos os grandes homens se fizeram no logro, mentira e alienação para chegarem ao poder, porque não sermos enganados sem ver o mentiroso e nem querer saber do crédito na verdade, tudo é baralhado a velocidade alucinante. 
Esta luta não se fará minha!
Cada vez mais quero viver num sítio com poucos ou quase nenhuns, ser feliz a saber pouco do mundo e que o mundo quase nada saiba de mim!
20
Jul20

Prazer de líder

Rita Pirolita
O prazer mesquinho e sede de poder dos líderes mete-me impressão, parece-me robótico e muito pouco humano na sua boa vontade, na parte pior parece muito actual e generalizado como comportamento aceitável.
Todos os líderes acabam por chamar a si o papel de alienadores espirituais, no fundo qualquer politico, director ou patrão, têm que dominar e saber controlar pelo medo, pela mentira ou pelo falso respeito! 
Ninguém de jeito, num mundo melhor se deixaria dominar ou mandar por um igual, acharia que estava na posse das suas faculdades para tomar as melhores decisões para si e por consequência para todos.
Como líderes com muita sede de governar, têm que saber induzir confiança, destroem, desmantelam, amesquinham, atirando por terra a vida e amor próprio de qualquer um, despojam a auto-estima de todos, para depois injectar alienação livre de julgamento e contestação. 
Em campanhas políticas, seitas, igrejas, é necessário normalizar para nivelar tudo pelo mesmo para que não se formem ondas, todos devem estar anestesiados, serem coitados descriminados postos em banho-maria para alucinações colectivas e mais tarde dependência do despojador, que vende quimeras tão perfeitas de tão podres e pobres.
Como pode alguém ter coragem de fazer discursos de liberdade e independência, quando querem dominar e convencer a alimentar a sua única ambição, o poder. 
É ignóbil abusar de premissas honestas para conquistar o oposto. 
Também é verdade que quem se acomoda está a pedir que lhe chupem o sangue e os vampiros da sociedade estão sempre à espera em cada esquina, de vítimas enfraquecidas e doentes para atacar.
Mesmo eu não sendo nenhum exemplo de boa pessoa, nem por lá perto e cada vez menos gostar de gente, não faço mal a ninguém e seria incapaz de liderar ou mandar fosse em quem fosse. Ia sempre sentir que estava a anular alguém para que me seguisse cegamente e como bem se sabe, as pessoas quanto mais abandonadas e vazias mais vulneráveis a serem influenciadas e dependentes de falso bem estar e facilidades. Detesto gente mole e insípida!
As paixões e amores só são palpáveis se forem sofridos, traídos, conquistados, disputados, possuídos, dominados, espancados, ciumentos...
Que canseira, amar de verdade não dá trabalho, não é prisão nem causa sofrimento!
Tantas vezes pergunto, serei a única a notar falsidade em palavras de líderes, olhar diabólico em gurus de seitas, gestos programados em governantes?...
Se não sou a única porque continuam a existir e a ser adorados?... 
Sendo assim não bastaria só aos lideres e más pessoas ficarem quietos por algum tempo para respirarmos liberdade e bondade? Vá lá não custa nada, é só não mexerem uma palha.
Nunca pensei que chegássemos a um estado tão pavoroso neste planeta que o melhor seria a inactividade e não a evolução.
04
Fev20

Cultura da diferença para a igualdade

Rita Pirolita
Os extremos tocam-se e repelem-se na gladiação pelo poder. 
É a cultura do salamaleque de quem diz bem e vão todos atrás ou de quem começa a dizer mal e a devassa vem por aí abaixo. 
Assim se arrasta a real carneirada atrás do real coitadinhismo com real queixume, de políticas que aumentam a vitimização atrás da denúncia que expõe, usa e humilha em vez de ajudar!
Os pobres vendem-se aos ricos por tudo e por nada, estendem a mão a dinheiro fácil, em troca de orgulho amarfanhado, delapidação da dignidade e riqueza da pátria. 
Políticos que mantêm povo a ração, numa casa que convém controlada com rédea curta e justiça que não funcione, para que a desorientação deixe o roubo impune e a governação por mérito seja chutada para as catacumbas. 
A vil estupidez dos energúmenos desacredita o acesso justo às oportunidades.
A cultura imposta da diferença quer-nos a todos iguais, numa alienação de luta que leva à divisão ao culto do ódio e à falta de liberdade e independência mal trocada por fugaz segurança e vigilância.
A virtude não está ao centro, deveria estar entre e dentro de cada um de nós!
01
Fev20

Não percebem?...

Rita Pirolita
Não percebem que fui croma de escola, sempre posta de parte, a quem ninguém ligava por ter bons resultados sem grande esforço, apresentar trabalhos e falar de coisas que só os professores percebiam e me deitavam o olhar de pergunta telepática: 'Que estás aqui a fazer, num ensino redutor até para professores quanto mais para alunos, que não responde a quase nada do que perguntas, que te obriga a memorizar mentiras, que não satisfaz nem estimula a tua curiosidade, que te tenta amarrar o sonho a profundezas tristes e pesadas??? Que fazemos contigo? Não temos onde te pôr e para casa não te podemos mandar!'
Que não tinha ninguém com quem falar sobre Nietzsche, Carl Sagan, Salvador Dali, António Aleixo, Jorge de Sena, Haldous Huxley?...  
Não percebem que há muito desisti de procurar sabedoria  nos mais velhos e experientes? Só os maus exemplos de vida alheia me abriram os olhos.
Hoje sou o resultado de ter contrariado tudo o que vi e não gostei.
Não percebem que as minhas tentativas de diálogo são uma forma de evoluir e sobreviver neste marasmo de alienação, falta de ideias e tacanha argumentação?
Não percebem que fico profundamente triste quando calo alguém, não quero ganhar batalhas, quero-me tornar maior, se não for à vossa custa, lá terá que ser sozinha...
Não percebem que para chegar à conclusão que nada no mundo faz sentido, não precisava de ninguém nem ninguém de mim?...

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub