Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contos e Descontos

Autora esporádica de contos e descontos escritos a tempo inteiro

Autora esporádica de contos e descontos escritos a tempo inteiro

Contos e Descontos

17
Nov20

Aniversário do moço

Rita Pirolita

É o dia do moço, o que eu lhe chamo, o seu nome nunca saberão, não ecoa nas letras dos meus textos, é insondável para quem me lê, outras coisas não serão, as que eu aqui ponho para vos dar a conhecer propositadamente, sou eu assim a chorar para fora sem que me vejam ou sintam o sal das minhas gotas de iris!

Do moço tenho pouco mais de uma década de conhecimento, quando fizermos, se fizermos, bodas daquele brilhante metal, já estaremos sem nos dar conta da companhia talvez. 

Expresso aqui o meu apreço por aturar a minha inquietação, a minha amizade por ser cúmplice, o meu gostar por ser bondoso, eu também sou algo assim para esses lados mas só a ele mostro, dos outros escondo, ele mostra, já não a muitos mas ainda cai onde não deve, a minha preocupação é protegê-lo e avisá-lo para que não lhe deixem mossa na bondade, para que não se transforme em revolta, ódio ou vingança, dizem que os escorpiões são dados a essas maleitas do feitio, que não se ponha a jeito, que se encolha nas palavras que eu cada vez mais faço de muda.

A força do meu abraço é o quanto eu gosto, eu tenho muita força e aperto muito, quase a estalar os ossos.

Se soubessem o quão gosto do moço? Ele sabe mas ainda não tudo, vai sabendo, conforme a vida me dá ganas para lhe mostrar o que ainda também não sei!

04
Ago20

Sinto-me perdida e achada

Rita Pirolita
Cada vez mais me afasto dum mundo que já não sinto meu, sou mais gente a falar com a natureza.
Já não faz sentido escrever um livro por mais que goste de ler e escrever, a maioria é preguiçosa para pensar e iliterata para interpretar.
Não preciso de governantes de pedestal com falsa formação e muito menos que inventem competências, preciso de gente sensível com bom senso.
Alheia ao vosso verdadeiro ódio e virtual amor quero estar perdida do vosso mundo e achada no meu!
24
Jul20

Conhecimento

Rita Pirolita
Muitos comentam para agradar, por estarem tão acomodados à ausência de opinião desfazem-se em elogios, aval e améns por preguiça de pensar, contrapor, criticar ou acrescentar, tantos outros destilam ódio sem conhecimento, tudo é engolido pelos impávidos que nada comem e tudo vomitam com fel. 
Deixo um apelo, se não têm conhecimento de causa ou mesmo conhecimento de todo, falem pouco, não se envergonhem e tentem informar-se, ninguém sabe tudo ou tem que saber, se sabem muito partilhem com o resto do mundo, quantas vezes já não aprendi com pessoas que relatam com veracidade e sem apologias ou fanatismos políticos o que se passa na Catalunha, no Brasil, na Síria, na China, em África ou mesmo na Venezuela, eu que não estou lá, agradeço que gritem pela liberdade, quero saber o que se passa com esta gente lá longe, sem entrar em demagogias e comentários atirados ao acaso! 
Não quero jornalistas comprados ou tendenciosos a enfiarem-me fake news pelo papo abaixo, como papagaios, vitimas de donos tortuosos! 
O conhecimento engrandece a pequenez com que nascemos. Não querem todos ser altos quando crescerem?... 
16
Jul20

Coitado do Trump

Rita Pirolita
Coitado do Trump! Mas não coitadinho! 
Este foi o Messias da culpabilização que a maioria estava à espera para reciclar o peso de consciência dos nossos pecados e pegada neste planeta, como muitos líderes já vieram expiar raiva e ódio por raças ou religiões.
Um homem de negócios que ainda não teve tempo de criar ligações politicas suficientemente fortes e cúmplices que lhe tolham a autoridade e poder de decisão, tão interessado está em mostrar o homem prepotente que é. 
Mas se quiserem fazer um exercício de distribuição de culpa e responsabilidade...
Não é muito agradável mas aqui vai e com exemplos banais para que todos percebam: 
Não se sentem culpados ao perpetuar as guerras nos países do ouro negro, por usarem um carro? 
A diminuição da poluição não se combate com carros elétricos, que não usam de todo uma energia limpa como nos tentam vender,  um dos segredos está no uso de mais transportes públicos.
Não sentem culpa pela pobreza e fome em sítios de exploração de lithium por usarem um telemóvel e carros com baterias?...Os carros eléctricos costumam ter duas e cada pessoa muda de telemóvel em média de ano a ano e tem mais que um... 
Não sentem culpa por agravarem as alterações climáticas com destruição de floresta para criação de pastos, ao consumirem carne a mais e contribuirem para a massificação da sua produção e disseminação de doenças ou de beberem tantos refrigerantes embalados em plástico que delapidam os recursos de água potável?...
Espalhamos aos sete ventos que gostamos tanto de animais e andamos a comê-los e a aprisioná-los em Zoos, que um dia serão o único sítio onde existirão e ainda os caçamos, comemos e lhes oferecemos autênticas ilhas de plástico no meio do oceano para se contaminarem...
Cada um de nós podia pelo menos não fazer uma coisa da lista, se fossem duas ou três ainda melhor e todas um grande avanço, continuam a fazer-se promessas de mudança que possam contribuir para um planeta mais limpo, quando os maiores poluidores são os que geram mais riqueza e cobram milhões ao mundo para fazer de conta que reciclam a porcaria que vendem, enganando a maioria com tretas de soberana altivez, em nos fazerem acreditar que está exclusivamente nas mãos do consumidor contrariar os ciclos naturais do planeta e mudar os nossos instintos de destruição. 
O ser humano coopera por perceber que pode chegar mais longe em menos tempo mas a real sinceridade é que somos egoístas por uma questão extrema de sobrevivência.
Que nós vamos deixar sempre uma pegada no planeta não restam dúvidas, que podemos deixar de existir antes que o planeta chegue ao fim da sua vida que tem domínio sobre a nossa pequenez, basta um simples meteorito ou o sol zangar-se...também não está longe da realidade.
Somos os únicos que estamos em posição de diminuir os malefícios dessa pegada e apenas a aumentámos até hoje, também se não fossemos nós seriam os dinossauros que com tamanhas bostas que cagavam, iriam produzir tanto metano que morreriam todos asfixiados mas pelo menos não iam inventar impostos da treta para ganharem milhões! 
Temos dificuldade em admitir que a única coisa em que somos soberanos é na destruição da nossa felicidade e equilíbrio com a ilusão que somos cada vez mais e melhores!  
Posto tudo isto e mais algo que me tenha esquecido, em vez de andarem armados em santinhos, a evitarem reconhecer que são tão estúpidos como o Trump, porque vos causa extrema repulsa e a pôr culpas em alguém que até parece que veio de outro planeta e não foi eleito pela maioria de uma das maiores potências mundiais...
Reconheçam que somos uns esquizofrénicos bipolares, ora génios, ora crimonosos, ora coitadinhos vitimas inocentes da sociedade... 
Somos todos a raiz do mal que temos! 

16
Jul20

Je suis e #MeToo

Rita Pirolita
Tanta solidariedade comodista e ecuménica. 

Nós os bons que estamos sempre do lado certo queremos que nos ouçam nas nossas denúncias de assédio, falta de respeito, contra o terrorismo e a discriminação...

Nós que não fazemos mal a uma mosca mas não gostamos do vizinho do lado sabe-se lá porque razão tão estúpida e insignificante que já nem nos lembramos, nós que nunca contribuímos para as guerras e educação sexista dos nossos filhos, com meninas a lavar louça e meninos a jogar à bola, em vez de criar seres independentes, desenrascados e que pensem pela própria cabeça que não ofereçam a outra face mas que não alimentem o ódio. 

Por mais que se grite, fale e escreva sobre tolerância e democracia...estes são precisamente os estados mais vulneráveis e difíceis de conseguir e manter, são de um equilíbrio periclitante como a cabeça da humanidade que vira consoante o vento da ilusão de mudar para ficar tudo na mesma!  
14
Jul20

Os eleitos que caíram do céu

Rita Pirolita
A sociedade cria resultados maus que depois quer condenar social, legal e moralmente, como se criasse filhos e depois os castigasse pelo mau comportamento fruto da má educação que lhes deu!  
Somos todos deste planeta e isto não é de todo nenhum sentimento de impunidade para com quem mal provoca, mas será que vamos matar com ferros quem com ferros mata, combater a guerra com guerra para conseguir a paz? 
Andamos a fazer isso há milhares de anos e veja-se o resultado... 
Por usarem gasolina no vosso carro para se deslocarem para o trabalho, não têm um pouco de responsabilidade, inevitável dizem vocês, para desculpar e acalmar a consciência e porque o mundo assim está construído, nas guerras e regimes assentes no ouro Negro no Médio Oriente, Africa e América Latina?  
Quem atira a primeira pedra com ódio e raiva gostaria de ser julgado em praça pública pelos seus erros mesmo que os tivesse praticado com pouca assunção de responsabilidade, por exemplo na adolescência e não ter hipótese de corrigir? Ou são todos uns santos?  
Os homens e mulheres de amanhã agem de acordo com a educação que lhes dão, se for sem tempo ou a correr com pouca atenção, teremos o resultado equivalente. 
A vida é feita de causas e consequências e quanto menos responsáveis menos livres.  
Precisamos de gerações depuradoras dos educadores coxos que temos, que não conseguem eles também ser saudáveis pelo imposto ritmo alucinante de vida e falta de tempo! 
Será que conseguimos benfeitores espontâneos, que se livrem da pesada consequência, exorcizem os traumas e que reajam por oposição à má prática? 
O comportamento humano não pode ser analisado como se de um robot se tratasse.
A pedófilia por exemplo, tem tanta cura como há muitos anos atrás se dizia que a homossexualidade era uma doença. 
O cancro é uma doença inerente à existência de seres vivos e apesar de a cura estar neste planeta, não andamos à procura dela noutra Galáxia, anda a indústria farmacêutica a adiá-la em nome de fazer dinheiro à custa de sofrimento que já poderia ser evitável, de tratamentos violentos que nem garantem grande sucesso mas mantêm os doentes vivos, sem serem saudáveis! 
Por outro lado somos suficientemente parvos para não aproveitarmos os recursos que temos e deixarmos gente a morrer à sede e à fome e depois irmos para Marte à procura de vestígios de água!
Crianças abusadas e pedófilos, são também o retrato da humanidade, umas vezes abusados outras vezes abusadores, vitima e agressor não existem um sem o outro, neste caso a defesa é desequilibrada, por força maior de um adulto que encontra na criança um alvo fácil para dominar, os papeis alternam. 
O tratamento de crianças abusadas nunca foi negado e falar no acompanhamento de pedófilos não quer dizer que estejamos a pactuar com os seus actos desviantes.
Não podemos continuar a tratar as vitimas como coitadinhos apáticos e os agressores como monstros de outro planeta, sem causa aparente, gente apenas doente e coitada.
Ninguém está livre de cometer delitos, a gravidade dos mesmos exige soluções à altura. 
A lei de anular quem não é normal sempre existiu e continua a existir e isso mostra um grau civilizacional baixo da humanidade que não consegue comportar os seus erros.
Ah esperem, os malucos criminosos deixam de ser humanos, essa é a sua condenação? Impossível de aplicar! 
Quando a educação é má ou inexistente, as crianças ficam ao abandono, à mercê de adultos que lhes fazem mal porque também eles são mal formados. 
Se amor-próprio e autodeterminação existissem, não haveria lugar para humilhações deste tipo de seres tão pequenos que absorvem tudo o que lhes fazem, ficam traumatizados e vingam-se noutros sob variadas formas de abuso, humilhação, violência, violações, guerras, homicídios.
Daí não causar admiração o resultado de um estudo recente entre adolescentes que aceitam e até acham normal, a subjugação no namoro por algum tipo de violência humilhação ou chantagem.
Afinal já todos fomos crianças e pertencemos ao mesmo planeta, percebem o ciclo de ódio que tem que ser travado e que algumas pessoas alheias ao assunto instigam? 
A melhor solução está nos envolvidos e não nos 'bonzinhos eleitos' que picam de fora e defendem o que não sabem, apenas baseados em nojo e pouca racionalização e aceitação do problema para assim o poder resolver. 
Separar, nós os bons e os outros, os maus, é o pior engodo de inclusão em que podemos cair!
Porque quando nada se resolve, mantemos o problema e continuamos a alimentá-lo.
Temos em mãos uma enorme solução a tomar, a própria humanidade que já caminha para a destruição desde a sua existência, porque não matá-la muito antes em nome da justiça dos 'bons' que parece vieram de Marte para nos salvar e até se elegeram a eles próprios??? 
Este é um caminho perigoso, cego e prisioneiro de falsos altruísmos, de gente que não sabendo o que diz ainda traz mais achas para a fogueira do mimo e das vaidades, que arde sem se ver e queima sem saber!
04
Abr20

Paz e amor

Rita Pirolita
Que tal reconhecer que o amor é misantropo e na sua verdadeira essência, só destinado a quem ama por reciprocidade sem esforço e por vontade própria, não a quem luta e sofre por ciúme ou engano e pensa assim alcançar um amor maior, essa é a destrutiva filantropia enganosa do amor, imbuído da perspectiva cristã de o prazer não ser gratuito, devendo ser gozado com parcimónia e agradecimento divino, como um rebuçado por bom comportamento, o deboche e sofreguidão da vida pagã são repreendidos e condenáveis, castrantes e impeditivos de uma vida sã.  

Então o amor e a paz que são tão bonitos, têm que ser tirados a ferros, quando existem primordialmente no mundo? Nós é que fizemos a guerra e o ódio para dar valor à paz e ao amor. Fazemos de tudo isto uma oposição forçada, falsa e fabricada, julgando que nos aproximamos dos deuses, tirando conclusões dos naturais antagonismos do dia e da noite, estas coisas existem sem conflito e complementam-se na diferença, nós apenas conhecemos o ódio do amor e a guerra necessária para fazer a paz. 

Tudo isto no espectro da estupidez humana, a maior e única que conheço é tão parvo como a hipócrita bondade do Natal!
04
Fev20

Cultura da diferença para a igualdade

Rita Pirolita
Os extremos tocam-se e repelem-se na gladiação pelo poder. 
É a cultura do salamaleque de quem diz bem e vão todos atrás ou de quem começa a dizer mal e a devassa vem por aí abaixo. 
Assim se arrasta a real carneirada atrás do real coitadinhismo com real queixume, de políticas que aumentam a vitimização atrás da denúncia que expõe, usa e humilha em vez de ajudar!
Os pobres vendem-se aos ricos por tudo e por nada, estendem a mão a dinheiro fácil, em troca de orgulho amarfanhado, delapidação da dignidade e riqueza da pátria. 
Políticos que mantêm povo a ração, numa casa que convém controlada com rédea curta e justiça que não funcione, para que a desorientação deixe o roubo impune e a governação por mérito seja chutada para as catacumbas. 
A vil estupidez dos energúmenos desacredita o acesso justo às oportunidades.
A cultura imposta da diferença quer-nos a todos iguais, numa alienação de luta que leva à divisão ao culto do ódio e à falta de liberdade e independência mal trocada por fugaz segurança e vigilância.
A virtude não está ao centro, deveria estar entre e dentro de cada um de nós!
20
Dez19

Ausência de sentido

Rita Pirolita
Se os protestos e denuncias levassem a algum lado as coisas já tinham mudado, não??? Mas convém não nos calarmos para ao menos não ir de mal a pior! 
 
Fazemos o que podemos e nos deixam, não o que queremos! Porque se ao contrário fosse, éramos livres, inteiros e perfeitos e o ser humano não existe para isso, temos uma existência errante, egoísta e autodestrutiva mas nunca aceitaremos isso e andamos com a ilusão constante que nos podemos aproximar dos deuses bonzinhos. 
 
A nossa condição não tem comparação com outras existências planetárias e o Universo existe bem sem nós, por isso a nossa criação não é determinante para nada, só mesmo para o nosso ego de umbigo! 
 
Podia vir para aqui destilar ódio mas vivo melhor em aceitação isenta e nunca comodista na evolução e maneira de ver o mundo, que não servirá para nada a não ser para viver em menos inquietação, que vai comigo quando morrer! 
 
Desejo clarividência, que eu uma certeza já tenho, não gosto deste mundo de gente que me obriga a confirmar a ausência de rumo e missão.
Num mundo justo só a inexistência deveria ser desprovida de sentido!

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub