Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Contos e Descontos

Autora esporádica de contos e descontos escritos a tempo inteiro

Autora esporádica de contos e descontos escritos a tempo inteiro

Contos e Descontos

19
Jul20

Grunhos das cavernas

Rita Pirolita
Caros habitantes deste planeta...
O homem e a mulher (se não escrever assim o BE caí-me em cima e nunca tive paciência para gente chata e quadrilheira) no início alimentavam-se do que havia, recolhiam frutos, bagas, raízes...quando começaram a fabricar utensílios começaram a caçar, sempre por necessidade de proteína animal para saciar a fome rápida e eficazmente e obter força e energia para caçar mais. O gasto de energia era maior e mais exigente. 
Biologicamente somos mais evoluídos, 'malgré' muitos não terem ficado mais inteligentes.
A necessidade de caçar e de consumir proteína animal completamente contaminada e massificada não tem lógica nem implica com a nossa sobrevivência hoje em dia. 
Comer deve ser um acto de sobrevivência e não um acto de carnificina ou puro prazer em matar por desporto como a caça. 
Numa alimentação de prevenção e que não nos ponha doentes para dar lucro aos laboratórios com doenças como diabetes, cancro e colesterol alto, nada se proíbe mas deve-se acima de tudo consumir alimentos que estejam biologicamente mais distantes da nossa constituição molecular que nos complementem e não que nos saturem, somos carne a comer carne, não precisamos de o fazer em tanta quantidade assim. 
O consumo de animais e seus derivados bloqueia o organismo e provoca acumulações que dão origem a depressões, comportamentos de ódio e alienação com tomas de medicação que nos enfraquecem e tornam mais dependentes e vulneráveis.
A maioria consome carne porque não vê a chacina dos animais, foi afastada de nós em locais próprios mas se fossemos obrigados a tomar a responsabilidade e o horror de os matar, muitos deixariam de os comer! 
Quantas pessoas já ouvimos dizer que não comem coelho porque viram as mães ou avós matar o animal!? 
O mundo é causa e consequência e a desculpa é o acaso, religião, desconhecimento e afastamento da natureza com perda de sensibilidade e equilíbrio.
Prejudicamo-nos mutuamente e por consequência os animais, plantas, água e ar que destruímos e poluímos mas que nos permitiram a sobrevivência neste planeta e não nos fizeram mal nenhum, pelo menos não tanto como nós, com a devastação enorme que já provocamos em algumas áreas essenciais. 
Devíamos ter uma memória de respeito por tudo aquilo que é uma dádiva!
Temos que reconhecer de uma vez por todas que nós é que tornamos este mundo um local feio para viver e o transformamos numa prisão tóxica! 
Matar animais é nesta altura da nossa evolução uma regressão biológica e um prolongamento de actos de guerra e maus tratos a nós próprios como civilização, fazendo a salvação parecer ou ser quase impossível, justificada por guerras em nome de deuses que não existem! 
Como somos uma comunidade muito desigual diga-se de passagem, todos estamos a pagar pelos actos piores, não vejo na maioria espirito solidário de estarmos num mesmo planeta! 
Não penso que se todos fazem que se lixe, vou ser mais uma a fazer, apenas penso que eu e mais uns quantos podemos ser a diferença mas não tenho a ilusão de salvar o mundo! 
Não se pretende que todos passem a vegetarianos de um momento para o outro, seria o caos mas se a maioria se debruçar sobre este assunto com alguma consideração e respeito e diminuir o consumo de animais já é um grande passo, em vez de ficarem agarrados a atitudes teimosas, que erradamente pensam que combatem a proibição e os tornam mais livres na escolha, neste caso as escolhas livres e pouco conscientes, matam e provocam um desperdício alimentar gigante.
A boa vida está no bom senso e lucidez mas nada nos proíbe de continuarmos nas cavernas dominados pelas sombras, a não reflectir sobre o nosso impacto neste planeta e a agir como a maioria, cada um por si! 
Saiam da toca, limpem a cabeça, sejam responsáveis pelo vosso corpo, alma e liberdade!
 
 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub