Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Contos e Descontos

Autora esporádica de contos e descontos escritos a tempo inteiro

Autora esporádica de contos e descontos escritos a tempo inteiro

Contos e Descontos

05
Ago20

Corrupção a quanto obrigas

Rita Pirolita

OPINIÃO

Por Miguel Esteves Cardoso

A base da corrupção é o egoísmo, é o “salve-se quem puder” e o “cada um puxa a brasa à sua sardinha” 

5 de Fevereiro de 2018:
A corrupção é vil porque prejudica toda a gente excepto os corruptos: o corruptor e o corrompido. O benefício dos corruptos, em dinheiro ou favores, depende do prejuízo do povo.
É por isso que a corrupção corrompe. Se a certa altura as pessoas pensam que para receber um benefício (uma operação, uma licença), é preciso pagar luvas, então até as mais pobres e justas estragarão as vidas à procura desse dinheiro, achando que não têm alternativa.
A corrupção facilmente se torna um sistema, acompanhada por racionalizações: “Se toda a gente suborna, porque é que eu, com a minha honestidade, me hei-de lixar? Que mal faz dar umas coroas àqueles gajos que até ganham mal, coitados?”
Olha-se para os corruptos e diz-se, com espanto: “Eles devem pensar que somos estúpidos!” É um erro. Eles não pensam que somos estúpidos. Eles simplesmente não pensam em nós: é esse o mal. Estão-se nas tintas para nós e para as consequências do que fazem.
A base da corrupção é o egoísmo, é o “salve-se quem puder” e o “cada um puxa a brasa à sua sardinha”. O egoísmo é psicopático de tão insensível: “Quem é que não fazia o mesmo, se não pudesse?”
Os corruptos é que dizem de nós: “Eles devem pensar que eu sou estúpido!” Sim, porque, para eles, só um estúpido recusaria aquela oportunidade de beneficiar pessoalmente à custa de toda a gente prejudicada por esses favores e desvios, por essas injustiças e desigualdades.
São corruptos e é por isso que pensam assim. Não têm salvação. Mas nós sim: é apanhá-los.
Este texto do MEC foi o mote para o meu teclado discurso, não querendo dizer que discorde ou até concorde com tudo e por isso talvez acrescente:
As reacções à corrupção, de gente que nunca se viu em posição de ser tentada a praticá-la, é de separação de 'nós' os bons inocentes naturalmente e 'eles' os maus intencionais. 
Não será tanto uma questão de índole e mais uma de oportunidade de situação de poder mesquinho, que só saberemos bem testada se estivermos perante ela na realidade, nada de imaginarmos situações, porque em imaginação até eu sou a Wonder Woman.
Não serão estes 'incorruptíveis imaginários', os piores que separam e estigmatizam aqueles que acusam mas lá no fundo invejam a riqueza final, não interessando até como foi conseguida?
Não serão esses os piores que falam de cor, por nunca terem a oportunidade de se calar perante a vergonha da rendição à hipócrita ganância da corrupção que depois importa mais disfarçar e até esconder, porque não fica bem tal falta de nobreza nos actos que se opõem às palavras?
Os que se mostram bonzinhos, são os piores mauzinhos, porque sabem que têm que esconder o seu lado mau, seja a que preço fôr, em nome de manter a corrupção intocável e a render!
Antes de serem corruptos, não seriam também assim, gente de bater com a mão no peito a mendigar ajuda e assim que apanham onde se agarrar passam num segundo ao salve-se quem puder, deixando os outros caranguejos no fundo do balde, cada um à espera da sua oportunidade?
Alguém que se diz tão bom e incorruptível, será o pior para aferir da imperfeição e egoísmo humanos, presente em todos! 
Se há eleitos? Há mas não pelas melhores razões, há-os com estomago para conseguir o mais cobiçado fazendo o pior!
De resto somos todos potenciais eleitos do altruísmo (des)humano!

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
E com a frase final o MEC torceu o próprio rabo e meteu as mãos na boca como um bebé: 
"São corruptos e é por isso que pensam assim. Não têm salvação. Mas nós sim: é apanhá-los.
 
Egoísmo da corrupção, tão cobiçada por todos, basta oportunidade!
O bem tem a mesma volatilidade da malvadez, basta nós querermos, alguns querem fazer acreditar que são  especiais e superiores, essa também não é a atitude mais integra e altruísta! Reconhecer a nossa imperfeição e não dividir o mundo em bons e maus e antes em culpados que todos somos e responsáveis que todos deveríamos ser, é meio caminho para sermos melhores! O ser humano está cá por oportunidades de sobrevivência que também incluem a corrupção mas agora a um nível mais requintado! Eu posso ser boa ou má, sou aquilo que posso e me deixam ser e não aquilo que quero ou imagino!
 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub