Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contos e Descontos

Autora esporádica de contos e descontos escritos a tempo inteiro

Autora esporádica de contos e descontos escritos a tempo inteiro

Contos e Descontos

28
Ago19

Não VOTO

Rita Pirolita

Não VOTO! Estou no meu direito!
Quando entramos para a UE ninguém perguntou nada aos portugueses, venderam o país a retalho e sujeitaram-nos a políticas que criaram maior desigualdade, agora querem que se escolha gentalha que vive à nossa custa e a Alemanha continuar soberana?...

É impressionante a quantidade de gente que apela à liberdade de expressão e depois insultam quando damos opinião, fazendo uso precisamente dessa mesma liberdade sem ofender ninguém e ainda apelam ao voto de quem os rouba e tira a liberdade de serem felizes! Não se humilhem mais!

 

28
Ago19

Quem não vota é ignorante

Rita Pirolita

Pois é, os que não votaram são todos uns ignorantes que mesmo que votassem iam e vão continuar a ser roubados, a encher panças sem fundo com impostos elevados, ordenados e reformas de miséria, uma saúde de rastos e uma justiça e educação ainda pior!

Não fomos tomados pelos espanhóis para a Alemanha nos enrabar? Desculpem mas continuamos pobres, na mão de socialistas e com os nossos recursos e indústria mais parados que nunca! Interior ao abandono e emigração sem abrandar!

Estou orgulhosa de ter lançado a discussão com a minha assunção de não voto, tive vergonha alheia dos idiotas que me insultaram e não aceitaram democraticamente a minha opinião, se são esses que foram votar percebo agora os palermas que nos desgovernam, bloqueei alguns e silenciei muitos outros mas acima de tudo também conheci opiniões positivas, esclarecedoras, concordantes ou bem discordantes, a esses não digo para fundarmos um partido, que como o nome indica é parte de uma ideologia, uma meia verdade e meia liberdade com meia responsabilidade mas porque não contribuir para um mundo melhor com a visão que as escolas deveriam transmitir, traquejo no pensamento, desejo de procura e criação de respostas, alternativas humanas e não alienadas, no fundo não assassinarmos a liberdade gratuita com que nascemos com a desresponsabilização do nosso futuro, entregue de bandeja a Estados paternalistas que prometem cuidar de nós para se apoderarem das nossas vidas e aprisionarem a nossa felicidade, retirada para ser trabalhoso conquistar novamente o que tinhamos de graça!

 

27
Ago19

Abriladas, arruadas, grandoladas

Rita Pirolita

Querem perpetuar a todo o custo a liberdade conquistada de Abril, votando em quem vos escraviza, rouba e nem se preocupa com a nossa saúde, justiça ou educação, se usaram o poder do voto para mudar, porque não usar o poder do não voto em vez de chover no molhado???

Desculpem mas estou tão triste com os discursos de muitos portugueses, vê-se mesmo que engoliram a K7 da alienação e lavagem cerebral. O comunismo e ditadura continuam nas vossas cabeças, a ditadura de votar, a censura de ser diferente, o medo de cortar raízes podres, o receio de mudar, melhor manter o mau que se conhece e é tão confortável que fazer novo e diferente. Se sempre nos vão roubar e explorar então do mal o menor que rodem à vez os que roubam e se possível que não roubem tanto. É tudo tão poucochinho, tão mealhas contadas! Já pensaram que quem não quer isto tem que levar com a vossa emperrada vontade de mudar que perpetua o sistema?

Eu nem preciso de me justificar nem preciso que me entendam, basta eu ter as minhas razões, o que me preocupa é muitos votarem sem saberem o que estão a fazer, esses é que estão a caminho do abismo de olhos vendados!
Nunca pensaram em viver sem políticos fazendo política activa, sermos mais independentes, cívicos e responsáveis, com gestores por mérito dos nossos impostos em benefício de todos?

Temos pena de visões reducionistas. Aos politicos só lhes interessa não perder, nem que seja a poucos feijões, agora interpretar a abstenção como um protesto, isso é que não, já têm o que querem com poucos alienados!

E os pequenos ditadores continuam a limitar as opções, se não acredita na esquerda tem que acreditar na direita mas noutra coisa qualquer fora disto, isso é que não!

Nunca vou criticar ninguém por ter ido votar, ao contrário dos que me insultaram por eu ter assumido que não vou votar, não VOTO porque não acredito nesta espécie imunda de democracia e não quero contribuir para a sua continuação, não existe ninguém no boletim que me represente em verdade porque em mentira todos são os melhores.
Tenham a noção que se o voto mudasse seria proibido e muitos de vós se vislumbrassem um ordenado de mais de 20 mil €/mês além das mordomias, não olhavam a escrupulos, verdade, cumprimento das promessas e não se emiscuiam de fazer campanhas com medidas de mudança mas tão só vencer com o pobre e baixo ataque aos concorrentes adversários. Acham isto fútil demais para quem decide o futuro do velho continente? E os que foram votar sem acreditar em nada, só para baralhar, para cumprir dever cívico, não obrigatório? Acham-se coerentes e determinados a mudar?
Eu não votei porque não participo em fanfarras que não acredito! Para não ser convicta prefiro protestar não dizendo apenas 'cumpri o meu dever', isso é o mesmo que irem ao WC porque estão à rasca, só para não se borrarem...

Sindrome de Estocolmo vem sempre ao de cima, entre mortos e espancados, escolher viver o melhor que nos deixam com aquele sacrificio bacoco de tentar mudar o sistema mas mantê-lo para ficar tudo na mesma! Poupem-me, os mais experientes é que me deviam abrir a mente! 

Há que assumir o percurso e não fechar a porta à mudança, estamos sempre a tempo! Usem a sabedoria e lucidez como arma, contra estes pulhas que voltaram depois de Abril para continuar o assalto ao país, vivemos uma liberdade podre e ilusória!

27
Ago19

Políticos artistas

Rita Pirolita
Os artistas invocam imaginações do outro mundo, únicas e intrépidas, que não podem calar dentro de si com o perigo de rebentarem e espalharem talento por todo o lado. 

As pérolas da criação que lhes saem da alma, além de uma inspiração quase divina, reservada aos pouquíssimos visionários eleitos, para conferir uma pitada de seriedade a toda a treta, não podem deixar de trazer algum suor à mistura, provocado por estudos intensos e introspecções profundas.

Artistazecos desfazem-se em elogios mútuos de forças titânicas para ultrapassar dificuldades monetárias, além de se vitimizarem num processo de criação tão sofrida que só é suportável pelos grandes e mais fortes, como se tivessem filhos todas as vezes que escrevem uma letra plagiada, repõem uma peça de Shakespeare pela enésima vez, ou borram uma tela. 
Os actores dilaceram-se em trejeitos e tiradas de trági-comédia de tanto chorar a rir de nostalgia do que foi a sua vida na rádio, na revista ou TV Guia. 

Fazem-se obrigados a trabalhar até morrer porque dizem sempre ter sido mal pagos, quando andaram a gozar à grande e à francesa, eu fazia o mesmo, ou então não me queixava e tinha poupado para não andar a fazer figuras tristes de me arrastar em palco, com a treta da representação correr nas veias, ser a única forma que conhecem de viver e terem desejo romanceado de morrer a fazerem aquilo que gostam, porque nunca fizeram, não sabem, nem nunca quiseram fazer outra coisa! 

Tiveram tempo e dinheiro para se entregar a depressões de criação borrada, de viver num mundo que só eles criaram e onde só eles vivem, tudo o resto à sua volta, os comuns mortais mexem-se mas não vibram, sobrevivem! 

Tal como os hipócritas políticos, os falsos artistas arranjaram forma de viver à custa de um mundo paralelo, inventado por eles e querem fazer acreditar que é necessário e indispensável à existência humana...a criação talvez mas não mais que a comida!
27
Ago19

Já larguei fralda

Rita Pirolita

Não disse a ninguém para não ir votar mas eu que não quero votar, já fui mandada uma data de vezes. Obrigada pela preocupação mas já larguei as fraldas e esta convicção de não voto é como religião ou clube, não tenho, mas podia ter ou até mudar...quando eu bem entendesse!

Pensando bem era melhor ter dito que ia votar, fazer o que os outros dizem que fazem mas depois não fazem mas até convém fazer porque afinal todos dizem que fazem e é melhor fazer como todos dizem que se deve fazer para não mudar muito de repente, pensar pouco e chatear-me menos!

27
Ago19

Amazónia, quanto fogo

Rita Pirolita

Depois de escrever o que vou escrever se calhar tiro uns dias de férias daqui, isto está impossível!
Os que estão em Lisboa na manifestação pela Amazónia, pelo teor das declarações, os seus cérebros devem ter ficado privados de oxigénio durante algum tempo, tal como os do lítio!

A capacidade brutal que a humanidade tem de transformar coisas sérias em palhaçada, alimentando o sistema de irresponsabilidade!

Mas esta gente enquanto continuar a respirar e a exibir carros eléctricos, preocupam-se lá com os netos e o futuro do planeta?
Vamos continuar a agir como sempre, em egoismo, sem considerar as crianças em África escravizadas na extracção de minério e as fazendas dos reis do gado vão continuar a consumir a Amazónia.

Os maiores vilões acusam os outros de crimes maiores para desviar atenção.
Não vai haver vergonha da destruição imparável que provocamos à nossa e a todas as outras espécies, porque ninguém vai restar!
Tenho tanta vergonha da humanidade neste momento que desejo mesmo que venha um meteorito e FOD@ ESTA MERD@ TODA!

27
Ago19

Sexólogas

Rita Pirolita

Quando as sexólogas de revista dão importância desmesurada aos preliminares, estão a perpetuar e a adensar a suposta dificuldade que as mulheres têm em atingir o orgasmo!
Para algumas os preliminares são dispensáveis, não venham com conversas sexistas, somos diferentes, por isso me enerva que queiram meter as mulheres num grupo com dificuldade em ter prazer, ou que só o atinjam à custa de preliminares elaborados por um expert, um trapezista na cama!

Ora essa, sejam livres na escolha e no prazer!

25
Ago19

Desejos

Rita Pirolita

Sinto desejos de carrinhos-de-choque, canícula, febras, caracóis, farturas, poeira, sardinhas, circos, gente bêbeda, mal amanhada e suada, carrosséis e cantores pimba...embora não aprecie nada disto, dá-me a saudade do meu sangue português!

25
Ago19

Chatos vegans

Rita Pirolita

Vou escrever mais uma vez sobre isto, gostaria que fosse a última, se calhar não é...
Existe uma doutrinação chata por parte dos vegan radicais mimados que nunca conheceram dificuldades de sobrevivência ou passaram fome, existe um mild ódio ou até fake desprezo por parte dos omnivoros relativamente aos vegetarianos e depois existe de um lado e outro, gente que respeita decisões.

A minha opinião é, com base em conhecimentos de macrobiótica, que encara a alimentação como uma filosifia de vida, somos o que comemos e devemos comer aliando o prazer ao bem estar, ter uma vida longa, saudável e preventiva de doenças, depende de nós, nada a ver com adivinhação ou esoterismo, é tudo muito prático, no fundo o caminho de doutrinas sérias, deveria resumir-se apenas a ser bem formado, seguir a intuição, ouvir o corpo e ajustar o que se come às necessidades, os excessos e falta de qualidade é que deixam porta aberta ao aparecimento de doenças, se a nossa intuição estiver ajustada àquilo que consumimos, mais alerta, menos alienada, saberemos o que consumir na altura certa, o problema é que hoje em dia querem fazer de nós autómatos normalizados, menos individuais e pouco virados para a necessidade de cada um, mais equilibrado será menos prejudicial para o todo, a normalização cria massas desinformadas e pouco sensíveis, a independência e responsabilidade por cada percurso nosso, torna-nos mais livres, dá mais trabalho mas cria mais estimulo, evitando cairmos em publicidade que apela a mentes amorfas. Sim, a alimentação dos mais antigos era de intuição, embora de pobreza, acabavam por ter acesso restrito a produtos animais, que são  mais difíceis de criar e menos imediatos de consumo.
No fundo cada um deve-se sentir feliz com as suas decisões e arcar com as consequências, não se desresponsabilizar. Não sou nenhuma expert em veganismo ou muito menos em macrobiótica mas fui descobrindo o meu percurso e aprendendo com isso, informei-me e não faço disto uma religião mas sim uma forma de vida transversal a todas as áreas da minha vivência, simpatizo com o budismo mas não sou budista, sou vegan mas costumo dizer, um dia que me apeteça comer carne, sou a primeira a ir ao talho comprar um bife, um dia que esteja com uma anemia grave, não tenho e sou vegetariana faz mais de 20 anos, sou a primeira a ir comprar figado, rico em ferro, em vez de recorrer a químicos, se possível que seja de produção biológica, tenho muitas dúvidas que os produtos animais em grandes quantidades nos façam bem, basta ver a roda dos alimentos, mas mais duvidas tenho do seu processo alterado geneticamente e pleno de tóxinas. Criei intolerância sim à forma desumana como se produz alimento, que deveria ser das coisas mais sagradas que damos ao nosso corpo. Para não me tornar chata, como muitos de vós esperam, estarei disponível dentro do meu modesto conhecimento, para trocar opiniões gratuitamente, só assim concebo a vida, partilha desinteressada, com quem tenha curiosidade sobre este ou outro modo de vida de respeito. Acredito que a desinformação cria muitos preconceitos, rigidez de postura e até ódios desnecessários. Sejam felizes, partilhem o que têm de melhor, sou muito pragmática mas tenho um mundo harmonioso em que acredito e que não é assim tão difícil de alcançar, temos tudo para conseguir, eu cada vez mais vivo em paz comigo e não quero guardar esse sentimento só para mim, as coisas boas devem ser partilhadas, as más transformadas, vamos lá não custa nada...e nada de ser lamechas!

22
Ago19

Dias de descanso

Rita Pirolita

Em dias de descanso é bom ouvir a televisão de fundo sem mesmo olhar para ela, é bom ouvir a música calma da casa ao lado sem lá estarmos.
Em dias de descanso tudo é sem aparecer!

Pág. 1/4

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub